Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Benção Irlandesa

“Que o caminho seja brando a teus pés,
o vento sopre leve em teus ombros,
que o sol brilhe cálido sobre tua face,
as chuvas caiam serenas em teus campos.
E até que de novo eu te veja, que Deus te guarde na palma da sua mão”

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.

"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

5 de junho de 2008

Tudo o que fizerdes a um dos meus pequeninos....

(José RicardoA. de Oliveira)

Hoje eu acordei com um grito na rua, assustado corri até a janela. O grito era de uma criança e não parecia longe. Não era um pedido de socorro era muito mais um grito de raiva. Cheguei bem a tempo de ver o que acontecia: um menino de não mais que 11 ou 12 anos brigava com outro um pouco mais velho, por um saco com cola de sapateiro, ambos visivelmente afetados pelo efeito da "droga".
Sujos, alucinados, abandonados...
O mais forte, se é que podemos dizer isso de alguém que mostra nos ossos, sua miséria maltrapilha, tomou o saco de cola e sumiu correndo pela rua.
O mais novo, me vendo na janela correu em minha direção e, chorando, sem nem bem saber o que dizia pediu:
Tio me ajuda !
Mas ele não queria o mesmo tipo de ajuda que eu propuz a prestar,
Não quis o café, o pão, o agasalho...
Não quiz sequer atenção, carinho.
Queria algo que eu não podia dar...
Queria sim ajuda para recuperar a cola e continuar cheirando para ver se conseguia anestesiar um pouco mais aquele sofrimento imenso, para sair pelo menos temporariamente daquele inferno cotidiano.
Precisamos de mudanças já.
Não pelo caminho da violência, não com paus e pedras na mão.Temos que produzir mudanças que comecem dentro de cada um de nós.Mudanças de hábitos que comecem com ampliação de consciêcia.Com o respeito ao nosso semelhante, com a integridade dos irmãos que sofrem pela falta daquilo que nos sobra. Respeito à pessoa humana, ao meio ambiente, com ações frente a ameaça de escassez de recursos naturais, de alimentos e com a integridade de nossa saúde.
Mudanças nos hábitos de consumo, mas principalmente mudança na nossa responsabilidade como cidadãos. Escolher os candidatos certos, cobrar deles uma postura honesta e nos comprometer com um processo político que mude a cara deste país. Temos que ser mais que uma pátria de chuteiras, precisamos nos transformar em uma nação de cidadãos pensantes, que além de saber usar muito bem os pés, saibamos usar nosso cérebro e, colocar em movimento todo o nosso corpo numa ação concreta, pacífica e eficaz.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário