Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

18 de maio de 2008

Com muito mais que trinta...

(J. Ricardo A. de Oliveira)

Imperdoável!
Tenho questionado muito sobre o sentido de todas as coisas.
A vida na maturidade parece trazer esse tipo de comportamento.
Não sei se é a proximidade da mudança, se é porque os amigos começam a morrer e vai-se ficando???
Acho que é inevitável.
Fico imaginando como é curiosa a perspectiva vista ao longo dos anos, como a opinião muda sobre alguns aspectos a medida que os anos passam. De minha parte tornei-me um questionador irremediavel. Pergunto-me como fui capaz de trabalhar por 16 longos anos em uma empresa multinacional. Como usei por tanto tempo um terno e uma gravata ao pescoço cotidianamente.
É curioso como olhando a vida que passou sou tentado a fazer um balanço de tudo o que viví, da forma como eu e a maioria das pessoas analisavam a realidade. É impressionante como valores mudaram, comportamentos transformaram-se. Piercings, tatoos, e figurinos pretos, olhos borrados e toda a sorte de pessoas que juro, não consigo descobrir onde se escondem durante o dia.
Mas isso comparardo a apatia que vejo estampada na cara da maioria dos jovens é quase nada. Fico pensando que tipo de anestésico se aplicou na veia desta moçada, que segue calada, "curtindo", numa boa, enquanto o mundo parece desabar. Tenho a impressão de que os nossos líderes estão se acabando.
Cazuza dizia que os dele morreram de overdose, é verdade.
Pensando nos meus vejo que morreram de causas muito variadas, de overdose alguns, assassinados outros, de velhice muitos.
Mas isso não é isso o que importa. Preocupa-me o não surgimento de novos líderes. Os jovens revolucionários de hoje cultuam imagens de revolucionários da minha época !
Não vejo no horizonte, nenhum líder com menos de trinta anos!!!
O que pensar do antigo sucesso: "não confie em ninguém, com mais de trinta anos" ? Marcos e Paulo Sérgio Vale, os compositores que hoje , como eu, tem muito mais de trinta.

"Não confie em ninguém com mais de trinta anos.
Não confie em ninguém com mais de trinta "cruzeiros".
O professor tem mais de trinta conselhos.
Mas ele tem mais de trinta, oh mais de trinta,Oh mais de trinta.
Não confie em ninguém com mais de trinta ternos.
Não acredite em ninguém com mais de trinta vestidos.
O diretor quer mais de trinta minutos.
Pra dirigir sua vida, a sua vida, a sua vida.
Eu meço a vida nas coisas que eu faço.
E nas coisas que eu sonho e não faço,
Eu me desloco no tempo e no espaço,
Passo a passo, faço mais um traço.
Faço mais um passo, traço a traço.
Sou prisioneiro do ar poluído,
O artigo trinta eu conheço de ouvido,
Eu me desloco no tempo e no espaço,
Na fumaça um mundo novo faço,
Faço um novo mundo na fumaça,
Não confie em ninguém...



http://www.youtube.com/watch?v=GImaUqwdyqQ


"E eu, quem diria, quase chegando ao dobro dos trinta...
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário