Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

você pode me acompanhar também

Minha página facebook:
https://web.facebook.com/jricoliveira

Ou a pagina do Blog no Facebook:
https://web.facebook.com/oAbsurdoeaGraca/

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

5 de janeiro de 2009

NOVA ERA ???

(J. Ricardo A de Oliveira).
Há no meio cristão, especialmente entre os carismáticos católicos e os neo-pentecostais protestantes uma tendência a satanizar o que passou a ser chamado já há algum tempo de Nova era.
Mais afinal, O que é Nova Era ?
Nova era é destes termos que podem abranger tudo o que se quiser.
Nova era, é a massagem de shiatsu. São os cristais coloridos que prometem alívio imediato para a dor e o equilíbrio dos chacras (essa sim uma palavra difícil), isso sem falar no fim do steres.
É também toda sorte de seitas, rituais, orientalismos, esoterismos e o que mais se quiser dar este nome.
É natural que diante desta grande Geleia Geral, as pessoas mais sérias coloquem-se não com um, mas com os dois pés atrás.
Para falar de Nova Era é preciso indagar sobre a astrologia de onde muito provavelmente, surgiu o termo.
Na verdade, a precessão dos equinócios é quem pode ser considerada a culpada. É desta teoria, a idéia de que o eixo da Terra move-se e passeia inversamente ao sentido horário, pelo zodíaco.
Surgiu então esta “teoria” que divide em eras a passagem deste eixo pelos signos zodiacais, determinando, de acordo com as características dos signos astrológicos a predominâncias dos acontecimentos, filosofias, religiões além da maneira de ser da humanidade.
Para estas pessoas estaríamos terminando a era de peixes, que caracterizou o cristianismo como forma principal de ser e viver da civilização ocidental e estaríamos entrando na Era de Aquário com as características próprias do Signo de aquário.
Teríamos então “uma era” (+ou - 2000 anos) de paz, compreensão, universalismo, amor algo como um paraíso terrestre. Mas esta tosca construção ideológica, não resiste sequer aos questionamentos astrológicos, já que em astrologia deve-se analisar os signos em seus eixos, sendo que o signo oposto (no extremo oposto do eixo) seria a sombra (na concepção Junguiana). No caso de Aquário esta sombra é leonina, ou seja, um excesso de egoísmo, necessidade de atenção exclusiva, culto da aparência e assim por diante.
É nesta fase que se costuma descartar tudo que se refere à “New Age” como sendo astrologia e esoterismo, portanto bobagens e crendices que não se deva dar crédito.
Mas há um outro fenômeno, este mais sério acontecendo e que foi indevidamente envolvido com os conceitos da Nova Era para dar mais credibilidade e uma aura de cientificismo a ela.Como se deu esta confusão é difícil saber, mas a verdade é que hoje o joio e o trigo vicejam juntos e é cada vez mais difícil arrancá-los e separá-los.Este fenômeno a que eu me refiro é a urgência de uma mudança de paradigma do conhecimento científico, de forma a encontrar respostas mais adequadas aos problemas da humanidade que não encontram solução e estão levando a humanidade a uma crise de valores morais e éticos, à corrupção, ao desemprego, a exaustão dos recursos naturais e logo à fome e à sede.
Pode parecer dramático, mas a queda do muro de Berlim, a destruição das torres do W.T.C., a criação da comunidade Européia, a preocupação com o aspecto religioso e espiritual e tantas outras iniciativas fazem parte destas mudanças buscadas pela sociedade.
A crise moral e ética, a crise econômica mundial o estouro da criminalidade nos países em desenvolvimento, a corrupção desenfreada são alguns sinais do colapso em que se encontra a nossa civilização.
Desde há muito tempo os cientistas estão percebendo este fenômeno e começaram a estudar e a desenvolver sistemas, teorias e formas de viver no período de transição que poderá vir a acontecer. Albert Einstein, N. Boor, Eisenk e inúmeras outras pessoas vêm estudando e desenvolvendo teorias, e testando estas teorias que nos mostram cientificamente que teremos que empreender sérias mudanças para nos adaptarmos.
Nosso grande desafio é saber separar Nova Era, crendices e Holismo, e então buscar respostas adaptativas para nossos problemas.
Na verdade toda esta confusão parece ter iniciado com Marilin Fergson, que escreveu em plena década de 70 um livro chamado A Conspiração Aquariana. Este livro baseado na contra cultura, na filosofia hippie e em conceitos orientais faz um apelo em prol das mudanças de paradigma e propõe que a tal nova era, seja conspirada e que esta mudança se dê gradativamente.
Como estávamos em final de século, melhor dizendo, final de milênio, e os apelos alarmistas e a busca de explicações para a vida impulsionaram esta chuva de hábitos, práticas, idéias, seitas. Criou-se então um conjunto de situações e explicações esotéricas orientalistas para definir o indefinível fenômeno da Nova era.
A esta iniciativa o comércio logo percebeu o grande filão de negócios a ser explorado e não pensou duas vezes em lançar suas “inutilidades necessárias” a qualquer mortal, plenamente inseridas nesta nossa aldeia global.
Nova Era passou a ser então um grande saco de gatos, alguns dos quais é muito importante estudar e averiguar antes de jogar tudo na lata do lixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário