Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

26 de julho de 2008

A Luz que nos inspira - Uma abordagem psico-espiritual.

( J. Ricardo A. de Oliveira)

Curioso ou não, mas a forma como as pessoas comentam umnascimento é quase sempre, referindo-se ao fato de que umadeterminada mãe “deu a luz”.Dar a luz, transmitir a luz, trazer à luz o que estava naescuridão. A sabedoria popular ensina que nascer é recebera luz. Viver é então carregar esta luz no interior do nossopróprio coração. Na verdade esta luz é a fonte de toda vida..É ela que nos mantém vivos.
Toda incidência de luz chama a atenção, provoca um estar em evidência. Em determinado momento de nossas vidas, quando ainda não aprendemos sobre o bem e o mal, somos tentados a querer parecer sempre bons e perfeitos. Com isso a luz que veio fazer brilhar a Vida, fica presa, sufocada, escondida por uma máscara: a nossa Persona.Vem daí o termo Personalidade, por expressar a maneira particular de cada um de nós se mostrar ao mundo.Esta máscara, a Persona, é na verdade aquilo que gostaríamos de ser, aquilo que queremos que o mundo veja em nós.E é esta máscara, a persona que proporciona o aparecimento da “Sombra”, que na visão da Psicologia de Jung, corresponde aos aspectos que comumente não queremos reconhecer em nós, sentimentos nossos rejeitados e escondidos: raiva, inveja, mentira, sentimentos de vingança, irritação, e todo o lixo psíquico.A luz que veio habitar em nós, fica assim escondida por esta máscara. O espírito Santo que brilha em nosso coração e que anseia por manifestar-se, é impedido por nossa conduta desprovida de sinceridade.
Cria-se então uma dualidade, nociva à nossa saúde psico-espiritual.
O que somos e o que queremos demonstrar.Ao invés de nos entregarmos por inteiro à maneira como somos, preferimos ressaltar apenas o aspecto da falsa perfeição, escondendo as nossas falhas, como que escondêssemos aquilo que realmente somos, e mostrássemos ao mundo um quadro retocado desta realidade. A imagem fabricada do que gostaríamos de parecer.Na psicologia da forma, a Gestalt, costuma-se chamar “Figura” àquilo que ressalta, que sobressai e “Fundo”, ao conteúdo que serve de base, para que a “Figura” possa aparecer. Podemos então dizer que transformamos em “fundo” o que realmente somos , de modo a fazer aparecer a “Persona” - uma “figura” composta de aparências daquilo que queremos ser..

Para termos uma boa noção destas realidades podemos observar a figura.


Nela, podemos observar duas imagens distintas que se interpenetram: uma moça e uma velha. Dependendo do que colocamos como figura ou fundo, vê-se uma ou a outra, mas nunca as duas ao mesmo tempo, embora formem um todo interdependente, tal qual a nossa “Persona” e nossa “Sombra”.
Nesta outra figura vemos de forma mais óbvia esta mesma situação:


podendo ser observado a existência de um cálice ou de dois perfis, dependendo do que se coloque como figura ou fundo.Persona e Sombra, figura e fundo, o ser humano e suas imperfeições, realidades resgatadas pela chegada da Luz.“E o povo que andava nas trevas viu uma grande luz,uma luz brilhou para os que habitavam uma terra sombria como a da morte” (Is. 9,1)Dentro de uma perspectiva Psico–espiritual podemos analisar esta situação, como um desvio da saúde mental plena, a qual se caracteriza pela alegria e pela graça da percepção da presença da luz em nós. O ser humano traz em si sempre os dois aspectos e é através da aceitação de nossas imperfeições e colocando-nos humildemente diante da Luz do Espírito Santo, que poderemos nos harmonizar e nos salvar, ou seja reencontrar a nossa saúde plenamente. Mais uma vez a profecia de Isaias anuncia esta possibilidade de forma simbólica com uma bela imagem:“Então o lobo viverá com o cordeiro, o leopardo se deitarácom o cabrito. O bezerro, o leãozinho e o gordo novilho,andarão juntos e um menino os guiará...” (Is 11,6)É imperioso perceber que a partir da chegada de Jesus, fomos libertos, Deus demonstrou o Seu amor por nós independente das nossas falhas. E mais, Jesus prometeu e enviou-nos o Espírito Santo, para que não restasse nenhuma dúvida quanto ao seu amor e o seu objetivo de nos ajudar a caminhar em Sua direção.Somos templos deste Espírito, temos em nós esta Luz.Conhecemos muito bem a infinita misericórdia, daquele que nos ama eternamente. que mesmo na hora de maior dor e sofrimento, no alto da cruz, pediu perdão por nós e ainda prometeu ao malfeitor arrependido:“Em verdade te digo: Ainda hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43)Diante disto, porque a solidão? A mágoa ? A angústia, A depressão e tantos desequilíbrios psico-espirituais característicos da vida atual ?Porque insistir em não reconhecer a Luz, que cintila dentro de nós?Viver iluminado por esta luz.Porque não fazer desta luz o sentido de nossa vida ?Fomos nós que fechamos as janelas, com medo da claridade iluminar nossas falhas, cabe a nós abri-las, reconhecer as nossas falhas e entregá-las com nosso propósito de mudança nas mãos daquele que nos criou.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário