Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

você pode me acompanhar também

Minha página facebook:
https://web.facebook.com/jricoliveira

Ou a pagina do Blog no Facebook:
https://web.facebook.com/oAbsurdoeaGraca/

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

18 de março de 2010

Mãe: até um dia, quando Deus assim quiser...


Vera Almeida de Oliveira
28/10/1926 - 16/03/2010

Mãe,
você adorava puxar um improviso.
E eu lembro de alguns ao longo do tempo.
E isso é muito interessante porque o tempo passa,
e a vida se repete invariavelmente,
e hoje sou eu a puxar esse “improviso”, ensaiado.

O poeta Gonzaguinha diz:
“somos nós que fazemos a vida,
como der ou puder ou quiser.
Você viveu a sua vida, como deu, como pode mas, sobretudo como quis.

Foram muitas as batalhas, mas não menores
que a alegria das conquistas e das realizações.
E foram muitas como mulher, mãe, esposa
e como profissional competente.
O tempo soube ser bom conselheiro e,
mesmo diante dos embates e da dor
soube seguir em frente, com coragem, sem fugir da luta..

Mãe,
vejo a sua vida desse jeitinho,
uma constante busca, um constante caminhar,
um permanente tocar no coração das pessoas.
Sei que se fossemos reunir todos a quem você tocou o coração,
seus nomes não iam caber aqui.
A saudade a esta altura já doi,
e muito, no peito de todos nós.
Vou dizer apenas que estou aqui como porta-voz
de todos os que te amaram ao longo de sua passagem pela terra
e que ainda mesmo separados pelo véu das existências, ainda te amam muito.
Somos muitos nos dois lados da vida e, se nós saudosos ainda aqui ficamos,
os daí estão em festa com a sua chegada.
Sei, e isso me sustenta na paz, que o papai e a Verinha
estão com você e podem matar a saudade destes anos
em que ficaram te esperando.
Dê um beijo neles por mim e fale para eles
que sinto muita falta deles também.

Peço ao bom Deus que continue a abençoá-la em sua nova vida,
que todos nós possamos estar sempre juntos em pensamento,
felizes apesar da impossibilidade de nos vermos, juntos
para agradecer sempre pelo dom de nossas vidas.

Até um dia, mãe.
Peça a Jesus que conforte nossos corações e vele por todos nós
que ainda precisamos completar nosso tempo por aquí.

Receba um beijo saudoso e cheio de carinho de todos nós.
Todos nós continamos a te amar pela eternidade.

Sua bênção , mãe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário