Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

3 de junho de 2016

O Sagrado Coração

J. Ricardo A de Oliveira



Uma das representações mais  bonitas e importantes
de toda a tradição cristã católica é a representação
do Sagrado Coração de Jesus.

Ela nos remete à principal missão do Mestre.

E na verdade a representação daquilo que ele veio fazer em nosso mundo.

O Dharma( missão) sublime, de ensinar o amor á humanidade.

Eu vos dou um novo mandamento: 
Que vos ameis uns aos outros como eu vos amei.

Sim ele nos deixou como mensagem que o seu único mandamento
que resume toda a Lei e toda a profecia é justamente o AMOR.

Amai-vos uns aos outros.
Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.
Amai a Deus,
amai a vós mesmos (como a ti mesmos),
e amai ao próximo.

E o discípulo tardio ainda irá acrescentar:

"...Ainda que eu falasse a lingua dos anjos
e a dos homens, se eu nao tivesse amor nada seria..."
(I Corintios Cap 13)




A devoção ao Sagrado Coração tem sua origem na própria Sagrada Escritura. O coração é um dos modos para falar do infinito amor de Deus. Amor que chega a seu ponto alto com a vinda de Jesus.
O Sagrado Coração aparece em dois acontecimentos fortes do evangelho: o gesto de João, discípulo amado, encostando a sua cabeça em Jesus durante a última ceia (cf. Jo 13,23); e na cruz, onde o soldado abriu o lado de Jesus com uma lança (cf. Jo 19,34). No primeiro temos o consolo pela dor da véspera de sua morte, e no outro, o sofrimento causado pelos pecados da humanidade.
Estes dois exemplos do evangelho nos ajudam a entender o apelo de Jesus, feito em 1675, a Santa Margarida Maria Alacoque quanto a honrar o seu Divino e Sagrado Coração.
O Coração e o amor  nos levam à misericórdia. É muito atual este tema da MISERICÓRDIA,  já que estamos justamente celebrando o Ano Santo da MISERICORDIA. A palavra tem sua origem no latim. Além  de ter a mesma escrita e pronuncia, também compartilha o mesmo significado que a palavra em português: clemência ou piedade. É composta pelos termos latinos MISERATIO, derivado de MISERERE, que significa “compaixão” e CORDIS, derivado de COR,  “coração”.
A ciência moderna tem comprovado o que os antigos acreditavam sobre o coração: o coração é o centro de uma sabedoria superior. Ele pode realmente se lembrar de coisas e pode funcionar de forma muito parecida com o cérebro.  “Há um cérebro no coração, metaforicamente falando.  “O coração contém neurônios e gânglios que têm a mesma função que as do cérebro, tais como a memória. Para a ciência o coração é a Sede da Vida. Para a espiritualidade o coração é a morada do Espírito Santo, duas formas de descrever a mesma realidade.




O Sagrado Coração nos remete ao Chacra cardíaco
Jesus veio ao mundo com o propósito de desenvolver,
abrir e ampliar a irradiação deste centro vital.
Por isso a sua lei é Amar .
Chakra em sânscrito significa roda, círculo e ciclo. Nos tratados orientais os chakras são descritos como os centros de energia psíquica sutil que esta sempre fluindo dentro do nosso organismo através de três nadis (canais) principais, que se chamam Ida, Pingala e Sushmna e se estendem, envolvendo a coluna vertebral. Os chakras que correspondem na maioria das vezes os plexos nervosos anatômicos, são formados pelo entrelaçado destes canais. Conforme o Shiva Svarodaya (ensinamentos de Shiva sobre as energias vitais) existem 72.000 nadis (canais). Destes, dez são mais importantes. No corpo sutil do ser humano, estes canais tem função de conduzir os dez tipos de energias vitais mais importantes. Estes centros e canais não são tridimensionais, por isso, não podem ser observados fisicamente no corpo mas, através da meditação é possível visualizar a forma, cor e as outras propriedades deles.


Nas pessoas em geral, os chakras aparecem como círculos com aproximadamente 5 cm. de diâmetro, de cores foscas mas nas pessoas evoluídas espiritualmente, eles se tornam brilhante e maiores e giram em forma de redemoinho.

O quarto Chacra


Nome em Sânscrito: Anahata

Localização: Peito

Correlação física: Ligado à glândula timo

Cor: Amarelo-ouro (rosa ou verde também)

Bijamantra para desbloqueio energético: Yam

Bijamantra para desbloqueio psíquico: Kákini




Significado:

Invicto, inviolável, morada do Divino

Elemento: Ar

É o chacra responsável pela irrigação do coração.
Considerado o canal de movimentação dos sentimentos.
É o chacra mais afetado pelo desequilíbrio emocional.
 Bem desenvolvido, torna-se um canal de AMOR
para o trabalho de assistência espiritual.
Quando existe um bloqueio nesse chacra,
a pessoa sente depressão, angústia, irritação
opressão no peito.

Alguns místicos cristãos do passado tinham conhecimento desta "fisiologia sutil". A abadessa Hildegard de Bingen (1098-1179) Santa Hildegarda, uma mulher muito à frente e seu tempo, conhecia e praticava essa medicina que envolvia o conhecimento das plantas, pedras e cores e em seus muitos relatos existem ensinamentos sobre a aplicação de determinadas pedras, cores e sons sobre centros vitais do corpo (os chacras).
Infelizmente esse conhecimento foi todo abandonado pela igreja.


Honrar o Sagrado Coração nos faz meditar e questionar a nossa conduta frente ao mandamento do Mestre e ao que S. Paulo indaga em sua carta: “Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero” Romanos 7:19

Constantemente repetimos:
Jesus manso e humilde de coração, fazei o nosso coração, semelhante ao Vosso
.
Mas infelizmente parece que ficamos só na repetição da jaculatória de maneira mecânica, esbanjamos egoísmo, indiferença, ódio, injustiça ... ultimamente parece que temos estado com nossos “pavios” muito curtos. São frequentes as demonstrações de intolerância, as cenas de agressão e violência gratuitas. Muitos de nós agem como se não estivéssemos comprometidos com a mensagem de Jesus e mesmo pedindo um coração semelhante ao dele, temos comportamentos preconceituosos, impermeáveis ao perdão e pouco interessados no projeto da construção do Reino que Ele nos mandou construir. Certamente estamos esquecidos de que foi Ele próprio que nos chamou atenção de que quando desprezamos a qualquer uma das suas criaturas é a Ele que estamos desprezando. E que ele separará os misericordiosos dos egoístas. (Mt25,31e ss)
Vivemos um Ano Santo dedicado à misericórdia , peçamos a Jesus que faça realmente uma grande mudança em nosso corações, que troque o nosso coração de pedra, que condena antes de procurar perdoar, que  exclui antes de se abrir ao que é diferente. Peçamos um coração inclusivo, um coração que não tem medo de se doar, de se rasgar, de se comprometer com as causas que a sociedade de hoje teima em rejeitar como na época dos primeiros tempos do cristianismo. 



“Cria em mim oh! Deus /Um coração igual ao Teu /
Liberto para amar sem ter limites /...........
Sem mágoas, maldições e cheio de perdão.
Transborda nele a Tua paz/ Tu és olheiro molda e faz /
Faz jorrar teu rio vivo e o teu mover’.          
(Marcos Goes)



Nenhum comentário:

Postar um comentário