Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

você pode me acompanhar também

Minha página facebook:
https://web.facebook.com/jricoliveira

Ou a pagina do Blog no Facebook:
https://web.facebook.com/oAbsurdoeaGraca/

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

26 de julho de 2010

Justiça e Paz

J. Ricardo A. de Oliveira

Os acontecimentos recentes me conduziram a uma reflexão sobre a Paz.
A suspeita de assassinato com requintes de barbarismo e crueldade, noticias de homens que simplesmente matam para se livrar daquilo que supõem ser problema em suas vidas, a ganância de filhos que matam os pais e de pais que matam filhos...
Tudo isso me remeteu a como estamos afastaos daquilo que é nossa missão nesta planeta e nossa condição básica.
Um mundo desestruturado e baseado no poder e na ganância. Um mundo de facilidades e de conquistas fáceis, mas muito pouco honestas. Um mundo que convida a alienação, ao descaso para com o semelhante, um mundo afastado da consciência da unidade.Um mundo em que ninguém percebe a presença da divindade em seu próprio interior.
Estamos muito próximo do momento em que o consumo desenfreado já não satisfará mais e não entorpecerá mais a necessidade de amor e a carência dos seres humanos. Estamos muito próximo da encruzilhada que dividirá o caminhos entre consumir e comungar.

Quem consome não comunga.

Consumir implica em destruir o objeto consumido, comungar é a ação de estar em comum com aquilo que se ama e que se quer preservar no amor.
Consumir é um ato violento, comungar é um ato de amor.
A febre consumista que a elite dominante impinge sobre os demais é como uma droga que vicia e faz com que os indivíduos percam o seu senso de medida e que cheguem a atos extremos para conseguir seus objetos de desejo. Somente os poderosos sem escrúpulos se beneficiam deste estado de coisas. Há uma linha que liga todos os atos ilícitos que vão desde o assassinato da companheira grávida à propina ao policial para que ele faça vista grossa por um crime cometido: essa linha pode ter vários nomes mas nos remete sempre à mesma realidade:ganância, sede de poder e o vício do consumo.
Uma sociedade justa não tem desníveis que marcam as diferenças entre os que a quem tudo sobra e os que a quem tudo falta. Esse escândalo que é a estrutura social em nosso país é a base da falta de justiça presente na corrupção dos políticos, na sonegação dos impostos, nos crimes, roubos e desregramentos tão evidentes nas páginas dos jornais.
É preciso que se tome consciência que mesmo que nos pequenos atos, que muitos de nós praticamos pensando ser inocentes, está o germe, a semente do consumismo que precisa ser controlado. Só poderemos mudar o mundo a nossa volta se cada um de nós for capaz de promover a mudança em sua vida.
Não basta buscar a Paz !
É preciso promover a justiça que é geradora da Paz.
Dê a Paz, distribua a PAZ ao seu redor, praticando a justiça.
A Paz no mundo só será alcançada quando a prática da justiça for uma realidade no coração
e na vida de cada um de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário