Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

7 de novembro de 2012

2012, o fim do mundo, a chegada dos discos voadores

J. Ricardo A. de Oliveira



Tenho recebido constantemente mensagens , algumas muito alarmantes, outras nem tanto, mas todas fruto de supostos acontecimentos que se realizarão em 2012. A ultima delas veio de uma terapeuta conhecida que dava conta de uma aterrizagem em massa de naves espaciais que iriam resgatar as pessoas antes dos acontecimentos. Entre uma e outra mensagem de algum canalizador, (agora não se fala mais médium, o chic é canalizador, ou simplesmente “canal”) uma amiga pediu a minha opinião sobre a tal mensagem da vinda em massa de ET's e as tais canalizações. O que escrevo abaixo é a minha resposta para esta amiga, que achei seria de alguma valia para os frequentadores do Blog terem ideia do que penso sobre tudo isso.


Vou confessar que tenho não só um, mas os dois pés atrás com toda essa coisa. Tenho um grande amigo diz que no tempo dele canalização era fenômeno espírita e que em centro só baixavam pretos velhos e caboclos e o máximo que recomendavam era fazê desenvolvedô ou um bom banho de descarrego.
Hoje alguns médiuns envergonhados viraram "Canalizadores", ou “Canais”, e só querem receber mestres de sabedoria da grande fraternidade branca e seres intergaláticos. Tudo é mais glamuroso, chic ou "refinado". Eu juro que concordo com meu amigo, tem muita maluquice com capa de canalização, muito animismo, delírio de ego inflado.


Há uns 20 anos quando apareceu o Trigueirinho e suas fitas e livros, um amigo meu o “Z” foi passar uns tempos em Figueira e eu perdi o contato com ele. Passados uns 6 meses eu encontrei o “Z” num ônibus indo para a cidade. Parecia um alienado, olhar vago como se tivesse fumado toda a "erva" ao seu alcance, mas na verdade estava careta. Descemos na Presidente Vargas e ele começou a me descrever sua experiência, com a voz arrastada e queria me convencer, por força, que o planeta Vênus, que se vê ao entardecer, era na verdade uma "Nave Mãe" e que os sensitivos (ele e a tchurma de Figueira) podiam ver as naves entrando e saindo da tal Nave mãe. Olha que olhei, olhei... eu não devo ser sensitivo...
Como tinha muita intimidade com ele perguntei se ele não queria ir a um psiquiatra amigo nosso, junto comigo, porque ele estava muito diferente. Ele riu e com um certo desdém me disse: Ricardo você só vai acreditar quando passar uns tempos lá em Figueira e me sugeriu que eu começasse a ouvir as fitas do Trigueirinho.
Nunca mais soube do “Z”... Nem mesmo a namorada dele depois de uns tempos soube me dizer o que tinha sido feito dele. Eu acho que o Trigueirinho resgatou o pobre numa das suas naves...

Quando tudo isso começou, lá pelos anos 90, eu participei de uma palestra do  falecido José Arguelles, autor do livro “Os surfistas do Zuvuia”, sobre as profecias Maias.
Eu depois de muito ler, me preocupar eu tomei uma decisão. Aliás eu cheguei a ela de certa forma durante uma palestra do Trigueirinho e cheguei a "dizer" isso em público através de uma pergunta dirigida ao Trigueirinho na palestra dele no Senai aqui no Rio de Janeiro.
Eu na verdade perguntei:
Se somos seres espirituais tendo uma experiência na matéria, porque nos preocupar com resgate do corpo físico?
Porque ficar apavorados com a iminência de uma destruição material do planeta. Somos ou não somos seres espirituais?
Devemos ou não nos aprimorar para nos desligar das preocupações com a matéria?
Que diferença vai fazer ser resgatado pelas naves ou seguir os caminhos naturais que sempre seguimos depois da morte do corpo físico ?

A pergunta foi lida, mas não foi respondida. Não deu tempo...

Com isso perdi a amizade de algumas pessoas que acharam herética a minha pergunta e deixaram de me procurar, inclusive minha médica homeopata na época, que virou seguidora do guru de Figueira.

Eu hoje passo os olhos em algumas destas mensagens, mas nada além disso.
Depois de muitos anos na sociedade Teosófica, e no estudo da doutrina espírita e, me considerando um cristão/católico muito fora dos padrões, eu acredito sim que possam haver seres em outras dimensões, que a Terra está num momento de transição, que muitos espíritos estão tendo a oportunidade de encarnar para ter uma oportunidade de um salto evolutivo e que teremos algumas situações (aliás já estamos vivendo isso) de transição do planeta. Mas daí  a entrar na paranoia de 2012, mudar de cidade como conheço algumas pessoas, uma grande amiga, por exemplo, mudou em 2000 para Friburgo com medo que o mar invadisse o Rio de Janeiro, e passou pela experiência de ver seus vizinhos sendo arrasados por uma Tsuname que veio do céu ...

Eu só sei que o que estou cada vez mais ligado é em tentar ser o melhor que eu possa, e isso já me ocupa demais. Remar contra a correnteza deste mundo maluco é dose...
O resto, se vierem os extraterrestres, se tiver capitães intergaláticos, se Jesus está mandando mensagens esquisitas para canalizadores super hiper sensíveis não sou eu quem vai julgar.

Vamos todos morrer, disso eu tenho certeza.
Nenhum ET vai poder nos livrar dessa experiência. Vamos seguir o caminho de purificação e aperfeiçoamento até poder estar lá no topo, cara a cara com o cara que nos criou e então, daqui há alguns milhões de anos, quem sabe, virar uma estrela de luz que irá explodir e se transformar em uma nova galáxia. Eu acredito nisto. Ninguém canalizou, psicografou ou mandou alguma mensagem. Eu apenas acredito porque quero acreditar.

Nestas horas eu lembro do querido "Pai José de Aruanda" quando eu tinha meus 20 e poucos anos e lhe perguntei como seria o meu futuro. Se eu iria chegar a ser diretor da empresa onde trabalhava, se eu conseguiria ser bem sucedido, se o mundo ia acabar no ano 2000 e mais um monte de perguntas, feitas de enxurrada ao pobre velho.
Ele riu, olhou bem no fundo dos meus olhos, pitou o cachimbo bem devagar e mais uma vez olhando nos meus olhos disse:


“Fio, cuida de fazê o teu mió, o resto deixa com o veio ,i cum nosso sinhô Jesus Cristo, que se ocê num fizé bestera, nós te ajuda a vortá pra casa mió do que veio pra cá.”
Deu a sua risadinha característica, pitou mais uma vez o cachimbo e me deu a entender que era hora de parar de perguntar.
As vezes, agora que tenho quase a mesma idade do Pai José, sinto uma ponta de inveja da sabedoria e da fé que ele tem....

Não tenham medo, depois da morte o que temos é só a eternidade...


Nenhum comentário:

Postar um comentário