Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

27 de junho de 2011

Fundamentalismos ...

J. Ricardo A de oliveira


Tenho observado que crescem os fundamentalismos religiosos, as posturas rígidas assumidas por pessoas e grupos religiosos em torno de algumas situações que despontam numa sociedade em mudança.
Circula pela internet o vídeo da ex atriz  Global e ex mulher do cantor Roberto Carlos e sua crítica contra o projeto de lei que combate a homofobia. Vê-se aqui e em outras situações também discursos inflamados sobre questões que certamente daqui ha alguns anos serão vistas de outra forma. 
Lembro-me do que foi a lei do divórcio defendida aguerridamente pelo deputado/senador Nelson Cardoso. Correntes de orações, discursos inflamados de padres, cardeais. Passados muitos anos a própria igreja tem hoje a sua pastoral para casais em segunda união. O tempo, esse mágico competente, transforma tudo e tem a capacidade de nos adaptar até mesmo a situações mais dolorosas e complexas. O exemplo da ex global chama a atenção para o fato de que muitos  se assustam com o tanto de pessoas que viviam em vidas desregradas, converterem-se em ferrenhos fundamentalistas religiosos. Quem não se lembra dos filmes do ator e diretor Jece Valadão, que se gabava de ser reconhecido como “o maior cafajeste do cinema nacional” e se tornou pastor evangélico? E o que dizer de da ex cantora  Gretchen, de Babi (Consuelo) Brasil e um sem numero de adeptos de diversas igrejas, até de algumas com nomes prá lá de diferentes como e´o caso da  igreja “Bola de Neve“.

Se observarmos a história e Santo Agostinho,  especialmente a que ele revela em suas "Confissões" vamos entender porque ele tanto se preocupou em condenar a sexualidade.
Pelo que escreve, ele vivia atormentado com suas tentações e lembranças de sua vida desregrada anterior à conversão. Quis garantir que o medo do inferno o manteria longe das paixões do mundo.

Assim a maioria das pessoas que tiveram este tipo de vida complicada quando se convertem "precisam" de uma "segurança" para não voltar à vida antiga. Pensam que regras rígidas garantirão a sua decisão. Esquecem-se de que a segurança está neles próprios e não em nenhuma regra fundamentalista ou em algum dogma. A crença num Deus distante é normalmente a base de todos os fundamentalismos religiosos.
Se acreditassem num Deus encarnado, que vive no meio de nós, não teriam  tanto medo e não teriam tanta necessidade de apontar e lembrar o  “erro” aos outros, como forma de não cometê-los.

Infelizmente sabe-se que quanto mais rigidez, maior a repressão. Quanto maior a repressão maior a sombra, e quanto maior a sombra maior a incapacidade de integrá-la á personalidade.
É dai que surgem os moralistas pedófilos e/ou promíscuos, os  sacerdotes homossexuais que são ferrenhos acusadores da homoafetividade, os pregadores que apenas pregam e não praticam aquilo que impõe aos outros.

Cada um de nós tem uma sombra onde está depositado tudo aquilo que, embora exista em nós, não queremos demonstrar e nem mesmo que os outros saibam. Essa sombra por pior que seja o julgamento que tenhamos dela, precisa ser integrada sob pena de tornar-se autônoma e não resistirmos aos seus impulsos avassaladores.

Por isso o processo de santidade, na minha maneira de ver, é na realidade um processo de integração da nossa sombra.
Um confronto com nossos demônios internos, e um constante processo de reconhecimento de nossas falhas e tropeços, garantia de nossa humanidade.
Lembro do episódio do filme e da vida de Chico Xavier e sua peruca, ou de uma famoso padre pop star que disse publicamente que seu maior defeito é a vaidade.
Reconhecer-se imperfeito é o caminho mais curto para a perfeição.
O próprio Jesus nos mostrou isso quando disse: Pai se podes, afasta de mim  este cálice. E já na cruz:  meu pai porque me abandoastes?

Só através do exercício do reconhecimento da nossa fragilidade e imperfeição podemos nos tornar melhores.
Só percebendo a presença de Deus em nós e a realidade da  UNIDADE é que  podemos aceitar o outro como ele é. E assim descobrir que  quase sempre somos iguais, nas falhas e nos acertos,e por isso não nos cabe apontar o dedo sem perceber, que ao fazermos isso, outros três dedos apontam para nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário