Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

9 de setembro de 2011

Não tenho mais estes sonhos

Júlio Lázaro Torma


Olhando o caminhar da Igreja nos últimos anos, quero dizer, que já não tenho mais ilusão ou sonho de que a Igreja um dia volte a ser aquela Igreja despoja da de fato de bens materiais, poderes temporais e de pompas.
Aquela Igreja sonhada e desejada por um autentico cristão que foi o Papa João XXIII, que convocou o Concilio Vaticano II,que deseja uma Igreja aberta e sensível aos anseios sofrimentos dos homens e mulheres de nosso tempo.
 Sou e vivi o chamad apagar das luzes e o fim  da primavera das renovações conciliares iniciadas pelos papas João XXIII e Paulo VI e que no Brasil teve bispos proféticos como D. Helder Câmara, D. Luciano Mendes de Almeida e D.Ivo e Aloisio Lorscheiter e o D. Jayme Chemello o nosso bispo emérito de Pelotas ( RS).
  Nos meus tempos de juventude, sonhei, em ver a Igreja aberta e sensível ao grito, clamor dos pobres e deserdados, que busca-se um diálogo e uma nova linguagem para falar de fato humilde e que abandona-se o discurso elitista.
  Que resgata-se  aquele amor inicial das primeiras comunidades cristãs, que fosse como falava no Primeiro Testamento os profetas e principalmente o Profeta Oséias ( Os 2,16-25), de ir ao deserto, ao verdadeiro amor.E voltar a ser e a viverem como nas primeiras comunidades, onde os cristãos partilhavam o pão e viviam em uma só alma e um só coração, onde todos se sentiam de fato como irmãos( At 2,42-47;4,32-35), onde não existe a vergonha de pregar e viver o Evangelho( Rm1, 16).
  Mas como escrevia São Jerônimo( 340-420), das grutas de Belém, ao ver bispos nas casas dos nobres de Roma:
  " Agora os Bispos passam as tardes tomando chá e comendo biscoitos nas vilas das madames".
  Ao longo da História da Igreja houve homens e mulheres que queriam e lutaram para que a igreja retornasse ao seu verdadeiro amor e que fizesse a experiência do deserto.Foi com os monges do deserto como Santo Antão de Alexandria.
  Com os Santos Padres da Patrística e depois com a reforma empreendida por São Bernardo de Claravel e o Mosteiro de Cluny, bem como as ordens mendigantes do século XIII, que queriam seguir o Evangelho de Jesus radicalmente, no meio dos mais pobres. SEGUIR NU O CRISTO NU E DESPOJADO.
  Ser de fato uma Igreja desvencilhado de todo o poder temporal e de uma linguagem elitista na qual a hierarquia e os agentes de pastoral,catequistas e coordenadores de comunidades e membros de associações e movimentos eclesiais temos.
  Onde parece que queremos alcançar as elites, aqueles que mantém todo o poder terreno nas mãos e esquecemos de fato os mais pobres, os deserdados da terra, os prediletos de Jesus Cristo.Aqueles em que Deus feito homem assumiu a sua condição na pessoa de Jesus de Nazaré.
  Olhando o afastamento da Igreja de CRISTO, do amor ao seu amado, do seu primeiro amor, que deveria ser incondicional.Me vem o conselho de um agente de pastoral de etnia guarani, que comentava comigo, sobre os últimos aconteceimentos na Igreja Católica e o isolamento dela.
  " Sabes, que não me preocupo com o que está acontecendo dentro da Igreja, com estes escandalos, vivo a minha fé".
  Olhando, a Igreja e os rumos em que ela está seguindo não tenho mais estes sonhos de um dia ver a Igreja voltar ao seu primeiro Amor.De se reformar e ser de Fato " SACRAMENTO DA SALVAÇÃO", PARA TODO O SER HUMANO.
  Quero viver o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo em minha vida pessoal, mas não tenho a ilusão de que as mudanças na vida da Igreja virá de cima da hierarquia ou da Curia Romana.Mas deve começar das bases apartir de cada um de nos.Pois a Igreja é irreformavel.
____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário