Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

3 de outubro de 2011

Vários suicídios na UPE! Menino de 10 anos se suicida após balear professora! Professor mata aluna alegando "amor". Mas afinal em que mundo vivemos?

J. Ricardo A. de Olivveira

Vivemos em um mundo de exterioridades e consumismo, um mundo sem sentido.
O objetivo hoje não é mais aprofundar-se, buscar o “Eu” que vive em cada um de nós, mas sim: TER, TER. TER, o maior número de coisas, amigos, influência, poder, e a lista vai se ampliando e enquanto cresce mostra o quanto não satisfaz e não traz felicidade.
A vida é uma correria, não sobra tempo para cada um estar consigo mesmo, a TV, a internet, a balada, o show, e até mesmo as manifestações religiosas se transformaram em uma exterioridade só. Mega missas com artistas, cultos ultra faraônicos tudo com muita música e pouco silêncio. Muita gritaria e pouca reflexão.
Neste mundo de correria e do consumismo tudo pode ser comprado, forjado, manipulado. Não importa o que eu tenho, mas o que o meu vizinho tem a mais do que eu.
Ninguém sabe lidar com a frustração, com a tristeza, com a perda e a falta.
O mundo da filosofia e teologia da prosperidade: se não tenho é porque Deus não me ouve ou eu não estou rezando certo. Para tudo há uma oração, um canto ensaiadinho, uma gritaria do pastor ou do padre afirmando que um milagre vai acontecer na sua vida. O mundo do barulho tem pavor do silêncio, mas é no silêncio que se pode ouvir a voz da consciência, a voz de Deus, a voz do interior...
Os cartazes se multiplicam com a promessa de trazer de volta a pessoa amada em três dias, outro mais ousado promete em três horas... Não admira que alguns recorram à violência, quando ouvem uma negativa. E matam, como o professor de Brasilia, inconformado com sua namorada que resolveu voltar para o marido.
O homem moderno tem medo do silêncio, não se acostumou a conviver consigo mesmo e quando se vê diante de uma situação que exige a  reflexão, paciência, resignação, aceitação, perdão e misericórdia, não suporta, mata ou  salta para fora da vida.
Neste mundo barulhento e imediatista os seres humanos aprenderam que Deus está fora deles e muito distante e só se revela se for cortejado, bajulado.
É fundamental encontrar o Deus que está no meio de nós, e que sussurra a nossos ouvidos incessantemente, mas para ouví-lo é preciso como diz o profeta G. Gil :”... ficar a sós, apagar a luz, calar a voz,encontrar a paz...