Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

4 de março de 2012

Santidade, uma questão de sanidade e principalmente coerência.

J.Ricardo A. de Oliveira




Eu tenho visto muitas mensagens nas redes que falam de Deus, que o exaltam, outras que criticam as pessoas que não seguem esta ou aquela religião, outras demonizam certo tipo de teologia, outras criticam igrejas, religiões ou pessoas ...
Fico sempre me perguntano quando leio:

DEUS É FIEL !
E nós somos? Ou só queremos que os outros pensem que somos?
Ou como reagimos à esta fidelidade  quando não conseguimos aquilo que queremos?


Fico me perguntando, onde  será que fica a prática desta espiritualidade tão alardeada ?

Será que é mais importante dizer que se segue á risca todas as regras e doutrinas e ter uma vida que não condiz com o fundamento da religião que se anuncia aos quatro ventos ?

Sobre os primeiros cristãos, diz os Atos dos Apóstolos : "Freqüentavam todos os dias o templo com perseverança e com um mesmo espírito, partiam o pão nas casas e tomavam o alimento com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo" (At 2,46). Para os pagãos este testemunho de unidade no Espírito causava certo impacto em contraste com sua sociedade que desgarrada pela falta de valores. Ao passar a frente de seus ágapes exclamavam: "Vejam como se amam!"
 Será que podem dizer isso de muitos de nós? Será que de nós cristãos de hoje podem dizer que somos diferentes daqueles “pagãos sem valores” ?
 A nossa sociedade atual será muito diferente?
Nossas comunidades, será que se destacam pelo amor e cativam a simpatia dos que as observam?  
Fofocas, desrespeito, mentira, maledicência, preconceito...
E o que dizer do : "Amai-vos como eu vos amo" ?
   

Será que é amor não respeitar o espaço do próximo?Passar a perna no companheiro de trabalho? Macetear o carro na hora de vendê-lo? Ligar o som do carro aos berros na madrugada, com aquela música gospel linda, e ainda achar que está “evangelizando” ?
Assistir de braços cruzados a miséria e o desrespeito aos menos favorecidos e fingir que não é conosco?

Acho que não foi à toa que Jesus em seu tempo escolheu o samaritano, considerado um “herege” para dar exemplo de amor ao próximo. E olhem que ele ainda cita um levita (da tribo dos sacerdotes ) ,um sacerdote e o herege samaritano.
Acho que ele já tinha percebido que na maioria das vezes, os mais santos nunca estão entre os que acham que já estão santificados.
Em se tratando de cristianismo jamais se pode afirmar que na prática a teoria é outra, do contrário estaremos sendo como os fariseus, sepulcros caiados, brancos por fora mas repletos de podridão por dentro.