Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

você pode me acompanhar também

Minha página facebook:
https://web.facebook.com/jricoliveira

Ou a pagina do Blog no Facebook:
https://web.facebook.com/oAbsurdoeaGraca/

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

28 de março de 2015

28 de março de 1968 - O companheiro Edson não conseguiu voltar para casa.

Edson Luis Lima Souto 
(Belém, 24 de fevereiro de 1950 — Rio de Janeiro, 28 de março de 1968) 

Morreu assassinado em confronto com a polícia, no restaurante Calabouço, no Rio de Janeiro.


Uma triste lembrança do período mais negro da história recente do Brasil.



Eu vivi intensamente essa época, ainda lembro com detalhes o que foram os dias que sucederam à morte do Edson, lembro bem da missa na Candelária, de como fiquei encurralado na porta lateral, lembro que saí com os padres, Bruno Trombeta, Max,Vital e outros que não sei o nome. Posso ainda, se fechar os olhos, ver a cavalaria invadindo pela porta central a igreja, a falta de respeito pelo lugar sagrado. 




Lembro da passeata e das muitas disputas na Rio Branco. Eu tinha 17 anos, um a menos que o Edson. Éramos uma juventude guerreira e sabíamos o que queríamos. O meu grupo se reunia na Matriz da Tijuca, lá na Muda, tínhamos com a aprovação do pároco,uma capela no porão da Igreja.
A capela servia como local de reunião. Lembro que uma vez à noite estávamos reunidos e chegaram os policiais do exército e invadiram, mas estávamos todos com a bíblia na mão e eles não encontraram nada, mas mesmo assim nos empurraram e tentaram nos intimidar, felizmente aquela noite era só uma preparação da celebração do domingo...Rsss
Nós passávamos muito tempo lá nesta capela e foi lá que recebemos a noticia de que o Betto e os dominicanos tinham caído, foi lá também que recebemos a notícia do AI-5, que por ironia tinha o pai de uma das participantes como um dos relatores. 
Acho que ele, "o coronel", nunca soube destas atividades de sua filha Rsssss.


Foi lá também que vi pela última vez alguns amigos, que a ditadura matou na flor da idade. Marcos, Januário entre tantos outros, esses dois metralhados, outros no que ficou conhecido como a chacina do bairro de Quintino.

Semana santa, tempo de se fazer memória, especialmente dos muitos Jesuses que deram sua vida pelo povo. A eles e ao Edson resgato a lembrança de um trecho da Paixão segundo Cristino do Vandré, que cantávamos, naquela capela, catacumba moderna de nossos sonhos, na sexta feira Santa:

Senhor, dai-nos todo teu perdão,
 Senhor, caminho da libertação,
Perdoa qualquer maldade,
que a outros possa causar,
Nosso amor a liberdade
Temos que continuar.
......
 Não viemos por teu pranto,
 nem viemos pra chorar,
 Na força do teu carinho
Esperamos nos salvar.

Reparte entre nós Senhor,
 a justiça em tua mesa
 Não viemos por teu pranto,
 nem viemos prá chorar...

(http://oabsurdoeagraca.blogspot.com.br/2010/04/paixao-segundo-cristino.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário