Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

2 de julho de 2013

Um gigante que acordou ou apenas um sonambulo ?



Eu tenho resistido muito a escrever alguma coisa em meio a esta turbulência que há um mês tomou conta do Brasil. Tenho sentido um misto de emoções desconexas e uma estranha sensação de que caí de paraquedas no meio de uma grande confusão. A impressão é de que alguém, na surdina, espalhou um rastilho de pólvora, e que um outro alguém aproveitou para atear fogo para  o incêndio tomar conta do país.
Fala-se de oportunismo, de golpe da direita. Esta por sua vez culpa os vândalos da esquerda ou do PT. A verdade é que grandes contingentes de pessoas resolveram sair às ruas e a plenos pulmões gritar suas reivindicações. São tantas e tão diversas que fico entre feliz e assustado. Tanto esperei pelo dia de ver o Brasil acordar. Mas fico temeroso porque no mesmo momento em que vejo um cartaz pedindo o fim da corrupção e outros combatendo a homofobia, vejo negros e pessoas com camisas vermelhas sendo espancadas por Skins. Ao mesmo tempo há cartazes e palavras de ordem que pedem “fora Dilma” e ainda, alguns outros que pasmem, clamam pela a volta da ditadura. 



Será que estas pessoas que sonham com o retorno dos anos de chumbo pensam que poderiam numa ditadura, se manifestar desta forma, nas ruas, com tal liberdade?
Será que imaginam ingenuamente que a corrupção começou com o PT e os governos Lula e Dilma.

Olhando com atenção vejo muitas perguntas sem resposta.
O comportamento da policia, a diversidade de manifestantes, o fato do movimento parecer não ter uma liderança. Mas como entender um movimento sem liderança que é capaz de promover organizadamente atos de norte a sul do país, inclusive em cidades do interior?
Vejo nas manifestações sinais claros de vandalismo e provocação. Assaltos, roubos a caixas eletrônicos de bancos e tudo com uma máscara de revolta popular. Mas é óbvio que  há gente se aproveitando da ingenuidade de muitos. Percebe-se pessoas, querendo se passar por manifestantes e que fazem questão de provocar, que se apresentam com as mesmas características:  camisas com mensagens de violência, atos de provocação  até mesmo aos manifestantes pacíficos e ao aparato policial, e isso sempre antecede à explosão dos conflitos.



Não consigo encontrar resposta para o fato de que o efetivo policial, em algumas das manifestações bastante numeroso, não prenda estas pessoas facilmente identificáveis. Como também não encontro explicação para a perseguição que os policiais fazem a pessoas nas ruas, algumas totalmente fora dos protestos. Porque encurralar pessoas em pontos afastados do conflito e atirar bombas sobre elas? Ou  jogar bombas em bares há quilômetros da manifestação?

São tempos muito sombrios, as instituições dão mostras claras de que não tem as respostas, principalmente as mais tradicionais como a igreja, o estado, os representantes do povo, a policia e até mesmo as famílias.
Não lembro de ver tanta atrocidade familiar como nos tempos atuais. Pais que matam filhos, e vice versa, por ganancia ou motivos fúteis. Crianças sendo sacrificadas e assassinadas por questões banais.
A Civilização parece ter entrado em colapso. Valores, instituições parecem mergulhados em um tipo de razão cínica.
 Para algumas pessoas, de tão distantes que estão, não conseguem avaliar como semelhantes seus podem viver com renda mensal de meio salário mínimo. Mas mesmo não compreendendo não se sentem envolvidas, desde que isso não afete sua vida, seus bens, suas regalias... É como se uma onda de frieza pairasse além da porta de entrada... Não são pobres, são acomodados, vagabundos, elas justificam.
Nas relações percebo  ânimos exaltados, uma enorme dificuldade de perdão, e um espírito completamente refratário à compaixão. Tudo parece fluido, volátil e paradoxalmente grave e sério... Tudo é convenientemente impermanente. E se o outro não pensa como eu, está contra mim. Se tem menos do que eu, certamente me inveja e quer o que é meu. E assim convivemos entre a agressão velada e o medo. Entre uma mentira e outra entre uma maledicência e um falso afago. Convenientemente miguxos!
Questiona-se tudo, confia-se em quase nada e aos poucos vai se instalando um clima em que a fé nos valores essenciais é mercadoria rara e sujeita a ataques. Os antagonismos parece que tomaram conta e já não se aceita o diferente, é como se fosse impossível a convivência com a diversidade. Pseudo religiões demonizam gays, satanizam negros e ridicularizam minorias como um todo. Sempre a minha verdade é a que deve ser seguida.
Ou se assiste ao futebol e torce pelo Brasil ou se participa de manifestações...                             Esqueceu-se de que é o mesmo direito o de manifestar-se politicamente e o de assistir á final da competição?
Por falar nisto, impressionante como nenhuma atenção foi dada aos enfeites nas ruas, tão comuns nestas épocas de competição esportiva. A mídia que tanto alarde faz e tanta competição promove nesta época, se fez muda... Porque ?
Que novo Brasil é este que esqueceu-se de sua paixão, do seu futebol?
Alguém chegou a dizer que a presidente teria comprado o jogo final da copa das confederações. Mas com que intuito resolveram desvalorizar a seleção tão defendida e sempre orgulho de  brasileiros fanáticos pelo seu futebol - o melhor do mundo ?
E que poder é esse que mudou o comportamento de forma tão radical e em tão pouco tempo da imensa torcida brasileira?

Confesso que me dá medo  a maneira como somos manipuláveis, sem nos dar conta.
Tenho medo do que a mídia produz e pior de quem a ela se a alia para disseminar sentimentos tão estranhos, tão raivosos e porque não dizer tão perigosos.

De minha parte sou pelas revoluções com data marcada, de quatro em quatro anos.
Sou pelas mudanças radicais, pela derrubada de governos, mas SEMPRE  nas urnas eleitorais. O contrário disso, essas ideias esquisitas que ferem a democracia, essas revoltas que não  deixam claro as exigências, que propõe caminhos que excluem o povo de suas decisões maiores acho que precisam ser muito bem controladas. Talvez mais de 80% dos manifestantes não tenham ideia do que foram os 20 anos de liberdade suprimida, de bocas caladas, de manifestações proibidas, de censura, de arbitrariedades, tantas que nem um grupo de quatro pessoas podia se reunir sem que fosse dissolvido pelo aparato policial. Não conviveram com a ausência de partidos e de políticos que hoje pedem nas ruas. Não veem que a ausência de diversidade tende a enfraquecer e dizimar qualquer espécie.
 Por favor não nos privem de nossa liberdade, conquistada com o sangue de tantos mártires.

Não precisamos copiar ninguém, não precisamos de máscaras importadas, não vamos permitir que nos façam de tolos e de massa de manobra.
Só precisamos ampliar a nossa consciência cidadã e fazer aquilo que estamos exigindo. Usar de nossa melhor arma, o Voto. Mas voto consciente e não voto por interesse. Votar sim, não ter medo de escolher e muito menos se esconder na abstenção. A nossa revolução tem dia e hora para acontecer, é só uma questão de esperar até o ano que vem, afinal para quem esperou mais de 500 anos para se manifestar, pode esperar só mais um pouco. Enquanto isso, vamos com calma, caminhando, cantando e seguindo a canção... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário