Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

7 de outubro de 2013

Hans Küng por ele mesmo


"A vida continua, mas onde nos leva? Mais cedo ou mais tarde, ela termina, e eis que chega o momento de examinar a situação, eis o tempo certo para publicar o terceiro e último volume das minhas memórias". É assim que o professor Hans Küng, o mais renomado e influente teólogo católico crítico do mundo, exorta no prefácio do seu livro que é publicado agora na Alemanha, Erlebte Menschlichkeit. Erinnerungen (em tradução livre: Humanidade vivida. Memórias), Pieper Verlag, do qual antecipamos alguns trechos.
A reportagem é de Andrea Tarquini, publicada no jornal La Repubblica, 02-10-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
Um livro extraordinário, porque revela pela primeira vez a correspondência entre Küng e o Papa Francisco sobre a reforma da Igreja. Portanto, esse livro, ainda mais do que os volumes anteriores, Erkämpfte Wahrheit (Verdade conquistada) e Umstrittene Wahrheit (Verdade contestada), leva-nos ao coração dos dramas e das esperanças atuais da Igreja.
"Küng através de três papados" poderia ser outro título do livro. Depois do ostracismo sob Wojtyla, eis o teólogo rebelde de Tübingen esperar em uma retomada do diálogo com o Vaticano de Ratzinger. Esperança rapidamente desapontada.
Mas eis depois a surpresa. Ratzinger encontra a coragem de renunciar, e o conclave surpreendentemente elegeBergoglio. Que escolhe o nome da esperança, Francisco, e dá passos de reforma. Trocando cartas e sinais com o grande teólogo rebelde.
Epístolas extraordinárias, sem qualquer formalidade: o papa que veio de Buenos Aires assina "Francisco" e ponto final, e nunca perde a oportunidade de exaltar em cada linha o papel crítico desse teólogo que há décadas a Cúria havia banido.
De todos os modos, também um thriller de primeira classe, em suma, mas escrito por um intelectual da Igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário