Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

30 de maio de 2014

Lendo e refletindo sobre Jesus e a Fisica Quantica:



A quase totalidade da humanidade está hoje presa no primeiro degrau da escala evolutiva de Maslow . Como então iremos superar e criar uma nova humanidade ? 
( Prof Helio Couto – Físico e espiritualista)




“O grande diferencial é que enquanto muitas coisas na Física Quantica se situam no plano teórico, Jesus de Nazaré as aplicou no cotidiano de sua missão” 

( Jesus e a Física Quântica- Frei Izidoro Mazzarolo) 

Como iremos transcender se ainda não nos livramos das necessidades materiais básicas. E mesmo quando já as temos satisfeitas. Ficamos na ânsia de querer mais e mais, sempre. Jesus disse ao jovem que o procurou para saber como segui-lo, que se livrasse do que tinha, vendesse, desse aos pobres, distribuísse os seus bens. Mas ele não quis, disse que tinha muitos bens e que não poderia dispor deles assim. Não entendeu que poderia ter muito mais se abrisse mão do "pouco" para receber muito. Como aquele jovem, nós também não queremos abrir mão do que temos. Não nos damos conta da mensagem inteira do mestre: " tudo que pedires ao Pai crendo que receberam, receberão" e ele disse TUDO. Parece que não conseguimos acreditar que se abrirmos mão do pouco e não tivermos dúvidas de que já recebemos, poderemos ter tudo. Não confiamos, e por não confiarmos não conseguimos fazer com que os que nada tem, passem a confiar. 
A humanidade como um todo está presa, amarrada a valores puramente materiais e com isso não consegue sair deste estado hipnótico que nega todo crescimento e desenvolvimento individual. O não reconhecimento da mensagem do mestre que diz que a centelha divina habita em cada um de nós e o sistema que nega essa verdade com todas as forças vem disseminando uma desesperança generalizada, para garantir a eficácia de um sistema que se baseia na ânsia, na necessidade do ter e que leva as pessoas a consumir e a desejar sempre mais e mais, o que as leva a endividamentos e a situações que beiram a escravidão.
O mundo está refém do materialismo, a maioria das religiões ao invés de estimular a espiritualidade das pessoas, faz ao contrário, restringem e aprisionam as pessoas em suas regras, ritos e crenças baseadas em valores materiais como é o caso da teologia da prosperidade. Por outro lado as alternativas que acenam com uma maior consciência, pecam por cair em uma prática de reclamações e reivindicações sem fim, que pouco contribuem para uma mudança efetiva e tendem a aumentar a falta de esperança da maioria. O sentimento de impotência parece generalizado. A confusão que se estabeleceu entre espiritualidade e religião só desestimula as pessoas a encontrar um caminho que as aproxime do criador, do Todo, da unidade que seria o único caminho possível de resgate da integridade dos Ser. Mas a preocupação em desenvolver e fortalecer o Ego, parece caminhar em oposição ao que seria a solução, ou seja o reconhecimento da Centelha Divina, do Fogo Criador, do Espirito Santo, da Presença do Deus, do Todo em cada um de nós. Enquanto estivermos desenvolvendo a crença em algo que está fora de nós, que é capaz de punir, que castiga e a quem se deve temer, estaremos muito distante da mensagem libertadora que alguém há dois mil anos atrás veio nos trazer. Ele nos disse que o reino de Deus, está no meio de nós, que ele e o Pai eram um e que nós também somos um com Ele e o Pai. Ele revelou um Pai abbah, um paizinho amoroso e não alguém com um porrete na mão pronto a nos castigar. Nesta horas me vem a fala de um franciscano que já nos deixou, Frei Ignacio Larranaga que dizia : “onde há amor, não sobrevive o temor.” De minha parte completo, se Deus é amor não há o que temer.
É urgente que tomemos consciência embora eu saiba que isso representa um grande risco, já que os exemplos daqueles que tentaram levar essa verdade para a humanidade foram todos abortados da vida: Jesus, Gandhi, Matin Luther King entre outros tem uma história de supressão, de terem sido assassinados inexplicavelmente. 
Mas mesmo correndo riscos, é imperioso despertar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário