Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

29 de agosto de 2014

uma manhã aos 6.3



A vida passa...
Primeiro os anos verdes, sentimento muito,
Mas pouco se sabe bem para quê.

Passa a vida...
Chegam os anos quentes,
e de uma quentura tanta,
que perigam queimar o pensar.
Busca-se, mas geralmente não se sabe o quê...

E a vida,
essa incansável passageira,
continua o seu passar...

E eis que se chega ao meio dela,  a vida.
Os anos, nem quentes nem frios,
São mormaço úmido,
numa seqüência de outonos
de céus sem nuvens, expectantes,
de dúvida, se haverá noites frias de inverno.

E anos após ano se descobre que mais de uma década se passou
E é, neste ponto do caminho que parei para descansar...
O quê mais passará ainda, amiga vida?

Que a esperança, me seja sempre companheira.
Que as lembranças, não sufoquem a euforia da descoberta
da nova infância,que tenho certeza, já se pré-(a)nuncia no horizonte.

Ah, amiga vida, não quero perder essa oportunidade,
por nada deste mundo.
Quero  poder recuperar a simplicidade e a ingenuidade,
depois de ter experimentado a experiência
e de ser merecedor da sabedoria.

Quero então me preparar, amiga vida,
para daqui há muitos anos, eu imagino e espero,
poder saborear o momento de feliz te agradecer,
e me despedir dando: 

“Gracias a la Vida,  que me há dado tanto...”


Nenhum comentário:

Postar um comentário