Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

19 de setembro de 2014

Teologia da Libertação e Marxismo

J. Ricardo A. de Oliveira

 Uma das principais e mais recorrentes das críticas que fazem à Teologia da Libertação é que ela  prega o marxismo/comunismo/socialismo e que isso é incompatível com os documentos da igreja. Entretanto  esse tipo de critica denota um total desconhecimento tanto da TdL como do próprio cristianismo.

Os cristãos não precisam do comunismo ou do socialismo porque o cristianismo é muito mais radical no que se refere à defesa do bem comum e dos direitos dos menos favorecidos. A TdL é cristã!  Caso tenham duvidas uma simples consulta s primeiros capítulos do livro de Atos dos Apóstolos e dos evangelhos será suficiente para entender que os cristãos embora tenham inúmeras semelhanças com as ideias marxistas/comunistas, vão muito além.

No livro dos Atos dos Apóstolos pode-se constatar como viviam os primeiros cristãos.

At 2,44-47
44.
Todos os fiéis viviam unidos e tinham tudo em comum.
45.Vendiam as suas propriedades e os seus bens, e dividiam-nos por todos, segundo a necessidade de cada um.
46.Unidos de coração freqüentavam todos os dias o templo. Partiam o pão nas casas e tomavam a comida com alegria e singeleza de coração,
47.louvando a Deus e cativando a simpatia de todo o povo. E o Senhor cada dia lhes ajuntava outros que estavam a caminho da salvação.

At4,33-37
33.
Com grande coragem os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. Em todos eles era grande a graça.
34.Nem havia entre eles nenhum necessitado, porque todos os que possuíam terras e casas vendiam-nas,
35.e traziam o preço do que tinham vendido e depositavam-no aos pés dos apóstolos. Repartia-se então a cada um deles conforme a sua necessidade.
36.Assim José (a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé que quer dizer Filho da Consolação), levita natural de Chipre, possuía um campo.
37.Vendeu-o e trouxe o valor dele e depositou aos pés dos apóstolos.

Além disso cristãos não pregam a luta de classes, a luta armada ou a violência. Antes entregam-se para mudar a realidade junto com os oprimidos, dando a vida se preciso, mas nunca partindo para a luta armada.
As armas dos cristãos são a imensa capacidade de doação, a força da palavra que amplia as consciências, a fraternidade e a incansável busca e anúncio da verdade.. O que na realidade faz certa confusão é que ao longo do tempo a igreja que se propõe a ser a voz do cristianismo abandonou suas ideias básicas. O concilio Vaticano II até tentou reviver os pressupostos e a pratica do cristianismo primitivo.Infelizmente muitos comprometidos com uma igreja mais aos moldes do concilio de Trento fizeram de tudo para fazer este concílio inócuo. O longo papado de João Paulo II e depois o de Bento XVI, em especial este último tentaram fazer a igreja retroceder quase 500 anos.  Hoje o papa Francisco luta para trazer de volta aquele cristianismo autêntico das primeiras comunidades da Galileia e vivificar os documentos do grande Concilio Ecumênico convocado por João XXIII.

Quando se lê nos “Atos” que as comunidades cristãs tinham tudo em comum e não faltava a uns o que sobrava a outros, ou que os discípulos vendiam seus bens e entregavam aos apóstolos, para que tudo fosse distribuído por todos, isto soa tão absurdo para a prática religiosa atual que é mais fácil taxar isto de comunismo ou marxismo.

Na verdade o que temos que considerar é que as ideias de Marx são posteriores às de Jesus o que nos leva a concluir que foi Marx quem bebeu nos ensinamentos de Jesus e fez as modificações para erguer a sua teoria/ideologia. Foi Marx que se baseou em Jesus e não o contrário.

Alguns argumentam que a TdL é contra o Capitalismo. Se a TdL é contra o capitalismo, não é por ser é marxista , mas porque o capitalismo deixa de lado aqueles a quem Jesus chama de “seus pequeninos” e que na verdade ele quer que entendamos que eles, são na verdade a personificação dEle próprio. Mais uma vez,  não é preciso ser marxista porque o cristianismo em sua radicalidade basta.

O que não cabe é que a Teologia seja confundida com ideologia. A teologia da libertação é cristã, no sentido exato do que Jesus e os apóstolos entendiam como tarefa da construção do Reino.
Quem segue a teologia da libertação é cristão e como cristão não duvida da existência de Deus, e  não concorda  que as manifestação espirituais sejam como um "ópio para o povo.
A TdL carrega em sí as manifestações religiosas de um cristianismo popular, as rezas, os benditos, as ladainhas do povo humilde, as CEBs. Ela é uma forma de ser cristão, por isso não cabe se dizer que ela é socialista ou comunista. Não podemos confundir o fato da TdL utilizar-se do método marxista de analise da realidade, com a pratica marxista ou socialista.
Não há como existir uma TEO-logia que não aceite a existência de um Deus.

Na minha visão  está bem claro que a TdL é contra a luta armada, e eu tenho para mim que esta é uma questão fundamental que distingue a teologia da ideologia da libertação. A teologia cristã não aceita que se use todos os métodos para alcançar a libertação, para a visão cristã dá-se a vida se preciso for, mas JAMAIS aceita-se tirar a vida de quem quer que seja. Na ideologia essa não é uma questão relevante.

Infelizmente  tem havido excessos. É preocupante quando se vê substituírem Jesus pelo Chê nos altares de alguns grupos radicais que tentam se aproveitar do ambiente reivindicatório próprio da TdL. Não seguimos uma ideologia, a opção pelo Cristianismo é a base desta teologia, e não é possível abrir mão da defesa destes valores.

Como disse recentemente o papa Francisco:

"Eu só posso dizer que os comunistas têm roubado a nossa bandeira. A bandeira dos pobres é cristã. A pobreza está no centro de o Evangelho"
"Os comunistas dizem que tudo isso é comunismo. Claro, vinte séculos mais tarde. Então, quando eles falam, pode-se dizer:  'mas então você é cristão'
 A Teologia da Libertação tem valores cristãos muito claros, e o tipo de revolução que ela pretende não é feita com armas convencionais. A revolução pretendida é no âmbito  da consciência, dos valores e atitudes e para esta revolução as armas convencionas são dispensáveis.




Nenhum comentário:

Postar um comentário