Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

27 de março de 2015

Porque colocar um filho na catequese - texto base


A catequese é um momento importante na vida de uma família. As pessoas levam seus filhos para que eles  comecem uma caminhada. Mas é curioso saber o porquê  das pessoas levarem seus filhos, netos e sobrinhos para a igreja. 
O que esperam quando matriculam os filhos na catequese.
Para que, porque, qual a expectativa?

Alguém poderia dizer:
Para serem evangelizados, para fazer a 1ª comunhão, para entrar para igreja, para aprender a religião...
A minha experiência na catequese foi muito curiosa, Isso aconteceu há muitos anos, no século passado há mais de 50 anos
.
 Na verdade naquela época, havia prova e tínhamos que saber decoradas as orações, sob pena de sermos reprovados, não fazer a primeira eucaristia e ter que repetir o ano. Mas  eu não sabia rezar o credo direito.
Eu rezava:
Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu único Filho Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria , padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu aos infernos ( naquela época era assim que rezávamos)...........................................................................,  , e ( !!!!!!!)  está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e mortos. Creio no Espírito Santo. Na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém

A professora dizia, falta um pedaço, mas eu não conseguia lembrar e me desesperava. Eu nos meus 7 anos de idade já estava  preocupado porque se eu não decorasse eu seria reprovado e teria que repetir outra vez...
Saber de cor as orações naquele tempo era fundamental !
Foi então que há mais ou menos um mês antes da prova o Monsenhor Tapajós  em um de seus muitos passeios pelas salas de aula da catequese, ouviu a professora  e viu o  meu desespero e sentou-se ao meu lado.

 Calmamente ele me disse vamos pensar juntos ?
 Veja o que vc está dizendo. Vamos lá recite o credo para mim e eu, gelado e tremendo, como uma máquina, reproduzi o que tinha decorado e ele então me parou e disse: meu filho, você não está entendendo o que vc está dizendo, preste atenção e entenda o que a oração diz.
 Eu recomecei e esqueci a tal parte da oração...

Ele então olhou para mim e disse:
Você está dizendo que Jesus desceu aos infernos e está sentado a direita do pai !!! É isso
Eu me assustei e arregalei os olhos. Ele então carinhosamente me disse  vamos pensar, raciocinar e rezar sabendo o que estamos dizendo, o que está faltando neste pedaço da oração:
 Ele não pode estar nos infernos a direita do pai, porque o pai não está nos infernos !
 Veja:  Jesus ressuscitou , subiu aos céu, e ai sim, sentou-se a direita de Deus Pai...
Ele então me fez repetir a oração pausadamente, parando e me fazendo entender cada parte.
Ao final me abraçou carinhosamente, piscou o olho para mim e disse a D.ª Edwirges (esse era o nome da minha catequista):  Ele está aprovado.
 Eu nunca mais esqueci a oração!

Hoje  já não se obriga mais as crianças decorarem orações, graças a Deus...
Essa não é mais a finalidade  da catequese.

A catequese hoje quer evangelizar!
Mas, o que seria Evangelizar ?
Evangelizar dar a boa notícia, a boa nova.
E qual é essa notícia?
Seria alertar as pessoas e apontar seus pecados e ameaça-las com o inferno?
Mostrar as portas abertas do inferno  para os pecadores ?
Que anuncio é este?
Na verdade, evangelizar é antes de tudo demosntrar como se vive a pedagogia de Jesus e vive-la na prática.
 E qual a pedagogia de Jesus ?
 Para entender essa pedagogia proposta por Jesus eu proponho um passeio pelo evangelho:



1) O samaritano Lucas 10,
25.Levantou-se um doutor da lei e, para pô-lo à prova, perguntou: Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna?
26.Disse-lhe Jesus: Que está escrito na lei? Como é que lês?
27.Respondeu ele: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu pensamento (Dt 6,5); e a teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18).
28.Falou-lhe Jesus: Respondeste bem; faze isto e viverás.
29.Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo?
30.Jesus então contou:
 Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de ladrões, que o despojaram; e depois de o terem maltratado com muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o meio morto.
31.Por acaso desceu pelo mesmo caminho um sacerdote, viu-o e passou adiante.
32.Igualmente um levita, chegando àquele lugar, viu-o e passou também adiante.
33.Mas um samaritano que viajava, chegando àquele lugar, viu-o e moveu-se de compaixão.
34.Aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; colocou-o sobre a sua própria montaria e levou-o a uma hospedaria e tratou dele.
35.No dia seguinte, tirou dois denários e deu-os ao hospedeiro, dizendo-lhe: Trata dele e, quanto gastares a mais, na volta to pagarei.
36.Qual destes três parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões?
37.Respondeu o doutor: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Então Jesus lhe disse: Vai, e faze tu o mesmo.


Veja aqui o que Jesus nos mostra:
O sacerdote passou e fez como fazemos hoje, fingiu que não viu...
O levita da tribo eleita para o sacerdócio, também passou ao largo.
 vem então
o Samaritano, alguém que para os judeus ea sinônimo de impureza, heresia. Judeus odiavam Samaritanos, tanto quanto Judeus odeiam alestinos e muçulmanos  odeia os cristãos. Mas é este que Jesus vai escolher como promotor do amor ao próximo.

No evangelho de João, vamos encontrar uma segunda dica, talvez a mais importante e didática da pedagogia do Mestre.




2) Amai-vos uns aos outros como eu João 13,

  sabendo Jesus que o Pai tudo lhe dera nas mãos, e que saíra de Deus e para Deus voltavalevantou-se da mesa, depôs as suas vestes e, pegando duma toalha, cingiu-se com ela. Em seguida, deitou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha com que estava cingidoChegou a Simão Pedro. Mas Pedro lhe disse: Senhor, queres lavar-me os pés!... Respondeu-lhe Jesus: O que faço não compreendes agora, mas compreendê-lo-ás em breve. Disse-lhe Pedro: Jamais me lavarás os pés!... Respondeu-lhe Jesus: Se eu não tos lavar, não terás parte comigo. Exclamou então Simão Pedro: Senhor, não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça. 10 Disse-lhe Jesus: Aquele que tomou banho não tem necessidade de lavar-se; está inteiramente puro. Ora, vós estais puros, mas nem todos!... 11 Pois sabia quem o havia de trair; por isso, disse: Nem todos estais puros. 12 Depois de lhes lavar os pés e tomar as suas vestes, sentou-se novamente à mesa e perguntou-lhes: Sabeis o que vos fiz? 13 Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. 14 Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns aos outros. 15 Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, assim façais também vós. 16 Em verdade, em verdade vos digo: o servo não é maior do que o seu Senhor, nem o enviado é maior do que aquele que o enviou. 17 Se compreenderdes estas coisas, sereis felizes, sob condição de as praticardes. 18 Não digo isso de vós todos; conheço os que escolhi, mas é preciso que se cumpra esta palavra da Escritura: Aquele que come o pão comigo levantou contra mim o seu calcanhar (Sl 40,10). 19 Desde já vo-lo digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais e reconheçais quem sou eu. 20 Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviei recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou. 21 Dito isso, Jesus ficou perturbado em seu espírito e declarou abertamente: Em verdade, em verdade vos digo: um de vós me há de trair!...22 Os discípulos olhavam uns para os outros, sem saber de quem falava. 23 Um dos discípulos, a quem Jesus amava, estava à mesa reclinado ao peito de Jesus. 24 Simão Pedro acenou-lhe para dizer-lhe: Dize-nos, de quem é que ele fala. 25 Reclinando-se este mesmo discípulo sobre o peito de Jesus, interrogou-o: Senhor, quem é? 26 Jesus respondeu: É aquele a quem eu der o pão embebido. Em seguida, molhou o pão e deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes. 27 Logo que ele o engoliu, Satanás entrou nele. Jesus disse-lhe, então: O que queres fazer, faze-o depressa. 28 Mas ninguém dos que estavam à mesa soube por que motivo lho dissera. 29 Pois, como Judas tinha a bolsa, pensavam alguns que Jesus lhe falava: Compra aquilo de que temos necessidade para a festa. Ou: Dá alguma coisa aos pobres. 30 Tendo Judas recebido o bocado de pão, apressou-se em sair. E era noite... 31 Logo que Judas saiu, Jesus disse: Agora é glorificado o Filho do Homem, e Deus é glorificado nele. 32 Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará em breve. 33 Filhinhos meus, por um pouco apenas ainda estou convosco. Vós me haveis de procurar, mas como disse aos judeus, também vos digo agora a vós: para onde eu vou, vós não podeis ir. 34 Dou-vos um novo mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. 35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. 36 Perguntou-lhe Simão Pedro: Senhor, para onde vais? Jesus respondeu-lhe: Para onde vou, não podes seguir-me agora, mas seguir-me-ás mais tarde. 37 Pedro tornou a perguntar: Senhor, por que te não posso seguir agora? Darei a minha vida por ti! 38 Respondeu-lhe Jesus: Darás a tua vida por mim!... Em verdade, em verdade te digo: não cantará o galo até que me negues três vezes.

Neste texto fica muito claro como é inusitada essa pedagogia que coloca últimos em primeiro lugar que mostra que servo e senhor estão n mesmo patamar.
Lavar os pés é algo que somente os escravos podiam fazer. Na palestina não havia calçamento nas ruas, ninguém usava sapatos fechados. Os pés das pessoas estavam sempre muito sujos e cheios de terra. Lavar os pés era uma das mais humilhantes tarefas. Mas Jesue esolhe este exemplo para demosntrar como um mestre como ele deveria agir dentro de sua pedagogia, e ainda alerata que os discípulos deveriam fazer o mesmo uns aos outros. E anda acrescenta:
Dou-vos um novo mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. 35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.
 Desta forma mostra sua pedagogia na pratica e com um mandamento novo.
E reforçando  esta ideia , Jesus vai  através deste trecho de Mateus reforçar a sua lei:
3) O Amor como Lei  Mt 22,

 34 Sabendo os fariseus que Jesus reduzira ao silêncio os saduceus, reuniram-se 35 e um deles, doutor da lei, fez-lhe esta pergunta para pô-lo à
prova: 36 Mestre, qual é o maior mandamento da lei? 37 Respondeu Jesus: Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito (Dt 6,5). 38 Este é o maior e o primeiro mandamento. 39 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18). 40 Nesses dois mandamentos se resumem toda a lei e os profetas. 41

Amar resume TODA a Lei e Toda a profecia.

O fato de as pessoas  colocarem seus filhos na catequese tem implicações fortes e sérias. Elas estão na verdade escolhendo um caminho de sabedoria, e de fé.
Não pensem que é “só uma religião” ou que é “uma questão de tradição”
Na verdade muito mais do que uma religião, Jesus propõe uma maneira de viver, ele enviou seus discípulos, seus seguidores para construir um REINO, um reino que começa aqui na Terra . E as regras deste reino são muito sérias e a cada dia parecem mais absurdas e distantes daquilo que a sociedade hoje tem como valores e como verdade.
A construção do reino não aceita em nenhuma hipótese a “LEI DE Gerson “ Ou a “Razão Cínica” que hoje imperam em nossa sociedade.
A lei de Gerson que para quem não sabe  tem como pressuposto:
 
levar vatagem em tudo. Não importa sobre o que ou sobre quem.
A “Razão cínica” é aquela que adota um conjunto de razões que justificam erros injustificáveis.
Ou seja:
No Brasil as pessoas sonegam impostos de Renda e o governo sabe da sonegação, mas os que sonegam alegam que  o governo não aplica a arrecadação dos impostos naquilo que deveria aplicar e o governo justifica que devido à sonegação ele não tem como realizar as metas a que a arrecadação  se destina.
Outro exemplo de “razão cínica”  é passar fingindo que não vê a pessoa caída no chão e fazer discurso religioso da importância da caridade.
Exemplo da lei de Gerson , fingir que esta dormindo no metrô para não dar lugar a gestante, ou ao idoso.
São só alguns exemplos de como o caminho que Jesus propõe está distante daquele que a sociedade adota em nosso dias.

Jesus diz: Eu sou o caminho, a verdade e a vida
porque ele não apenas falou ele exemplificou com sua vida como seus seguidores deveriam viver.O caminho de Jesus é muito comprometedor...

  E Jesus nos deixou com todas as letas o que espera de nós como discípulos.
Note que ele não disse que nos queria só na igreja rezando, ou louvando Ele quer muito mais. No evangelho de Mateus vamos encontrar a maneira que Jesus espera que seja nossa vida




Mt 25, 31 -

Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso.
32.Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.

33.Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.
34.Então o Rei dirá aos que estão à direita: - Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo,
35.porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes;
36.nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim.
37.Perguntar-lhe-ão os justos: - Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber?
38.Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos?
39.Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar?
40.Responderá o Rei: - Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.

41.Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: - Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos.
42.Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber;
43.era peregrino e não me acolhestes; nu e não me vestistes; enfermo e na prisão e não me visitastes.
44.Também estes lhe perguntarão: - Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, peregrino, nu, enfermo, ou na prisão e não te socorremos?
45.E ele responderá: - Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que deixastes de fazer isso a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer.
46.E estes irão para o castigo eterno, e os justos, para a vida eterna.


O Padre André Luna tem uma música que expressa exatamente este trecho do evangelho a letra   diz o seguinte:

Seu nome é Jesus Cristo e passa fome
E grita pela boca dos famintos
E a gente quando vê passa adiante
Às vezes pra chegar depressa a igreja
Seu nome é Jesus Cristo e está sem casa
E dorme pelas beiras das calçadas
E a gente quando vê aperta o passo
E diz que ele dormiu embriagado
Entre nós está e não O conhecemos Entre nós está e nós O desprezamos (2x)
Seu nome é Jesus Cristo e é analfabeto
E vive mendigando um subemprego
E a gente quando vê, diz: é um à toa
Melhor que trabalhasse e não pedisse
Seu nome é Jesus Cristo e está banido
Das rodas sociais e das igrejas
Porque d'Ele fizeram um Rei potente
Enquanto Ele vive como um pobre
Entre nós está e não O conhecemos
Entre nós está e nós O desprezamos (2x)
Seu nome é Jesus Cristo e está doente
E vive atrás das grades da cadeia
E nós tão raramente vamos vê-lo
Sabemos que ele é um marginal
Seu nome é Jesus Cristo e anda sedento
Por um mundo de Amor e de Justiça
Mas logo que contesta pela Paz
A ordem o obriga a ser de guerra
Entre nós está e não O conhecemos
Entre nós está e nós O desprezamos (2x)
Seu nome é Jesus Cristo e é difamado
E vive nos imundos meretrícios
Mas muitos o expulsam da cidade
Com medo de estender a mão a ele
Seu nome é Jesus Cristo e é todo homem
E vive neste mundo ou quer viver
Pois pra Ele não existem mais fronteiras
Só quer fazer de todos nós irmãos
É exatamente como ele nos diz no evangelho :
Todas as vezes que fizerdes um dos meus pequeninos é a mim que o fareis.
Entre nós está e não O conhecemos/ Entre nós está e nós O desprezamos (2x)

Toda essa história de Pedagogia, Reino é muito incômoda, porque todo cristão tem essa característica que herdou do mestre, Jesus era muito incômodo para os valores e o sistema vigente em sua época, e se quisermos ser honestos é assim que ele é até nos dias de hoje.

Eu espero ardentemente que o Espírito Santo possa  tocar os nossos corações e que os faça entender que na igreja só é possível  fazer uma pequena parte do trabalho de evangelização, a grande tarefa  cabe aos Pais.

 Cabe  aos pais o exemplo, o seguimento de valores de dignidade, valores que possam construir um caráter verdadeiramente cristão. Que não se utilizem da lei de Gerson nem da Razão cínica em suas vidas.
 Que lutem pela construção do Reino, que deixa de ser utopia quando nos comprometemos como operários da construção dele.
E apesar de parecer difícil se revela simples, muito simples e em pequenas coisas.
Eu posso dar um exemplo de um fato que nunca esqueci.
Já fazem alguns anos, meu filho mais velho, hoje com 40 anos tinha na época uns 9/10 anos. Era uma olimpíada na escola dele e ele e os colegas disputavam uma partida de futebol. Num dado momento faltavam uns 15 minutos para acabar o jogo, que estava empatado em 0X0 um colega dele faz um gol, mas fez  gol com a mão. E aparentemente  o juiz não viu e ia  apitar o gol. Para espanto de todos, e isso me emociona até hoje, o menino levantou o braço e disse: não foi gol, eu fiz com a minha mão ! Eu conhecia bem aquele menino que frequentava a minha casa e meu filho a dele e sabia os valores que a família tinha e achei perfeitamente coerente com a  educação que ele recebera, aquele gesto corajoso dele. O juiz prontamente anulou meio que espantado o gol. Um pai, que nervoso estava ao lado do campo, e tinha incentivado o filho com frases tipo: mata ! quebra a perna dele! em algumas jogadas, vendo o que acontecia gritou com toda força: IDIOTA ! BURRO! DESGRAÇADO! Entregou o jogo!!!! Ninguém tinha visto !!! 
Era um jogo de crianças de 9 anos de idade!
E eu vejo neste exemplo a diferença entre se adotar a lei de Gerson na vida e a lei do Cristo.

A construção de uma nação depende do que plantarmos na educação de nossos filhos.
Se ao invés de ouvirmos o que dizem e fazem nossos filhos estivermos com o rosto colado ao I-fone para acompanhar as mensagens do Whatsapp , Se estamos substituindo  o diálogo familiar pela TV, se não damos atenção à vida que passa, se nos abstivermos de pensar para deixar que os meios de comunicação nos digam o que é certo ou qual é a verdade que temos que adotar, certamente esse não é o caminho proposto pelo Cristo e não conseguiremos construir absolutamente nada, nem uma família, e muito menos uma nação diga.

Cada um de nós é responsável pela evangelização de nossos filhos muito mais do que as catequistas ou o sacerdote que estarão com eles no máximo duas vezes na semana.
Eles não vão assimilar uma espiritualidade se nós não os acompanharmos  durante a catequese, nas missas  e depois quando eles já tiverem feito a primeira eucaristia, em seu caminho  de crescimento espiritual.

 É fundamental estarmos presentes na vida de nossos filhos. È fundamental dar divertimento sadio a eles, valores saudáveis e dignos e isso será muito mais importante para a vida deles do que roupas de marca, celulares do ultimo modelo ou qualquer viagem à Disney.

Precismos descobrir a alegria que é sentirem-se amados e acolhidos por Deus e em consequência disto por seus familiares.
 Há muito a fazer  e CREIAM um outro mundo é possível, basta caminharmos nesta perspectiva do AMOR.



Nenhum comentário:

Postar um comentário