Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

28 de outubro de 2015

“...Vim lançar fogo na terra; e que mais quero, se já está aceso?..."Lc 12,48-51

(José Ricardo A de Oliveira)


Ontem alguém me fez uma provocação, perguntado o que eu achava da passagem Lc 12,48,51

“...Vim lançar fogo na terra; e que mais quero, se já está aceso?
Importa, porém, que seja batizado com um certo batismo; e como me angustio até que venha a cumprir-se! 
Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas antes dissensão;...”

Na verdade, o que Jesus quer dizer nesta passagem é que ele não veio para deixar tudo como estava, ou seja as leis tipo "Olho por olho, dente por dente". A realidade daquele tempo é algo muito parecido com o temos hoje e de certa forma ele veio com um projeto revolucionário, que chocou tanto os doutores da lei daquele tempo que ele acabou numa cruz como um revolucionário, um terrorista, um subversivo da ordem estabelecida. Ele chamou os políticos e religiosos da época de raça de víboras, fariseus hipócritas, sepulcros caiados brancos por fora e podres por dentro.

Temos uma imagem de Jesus muito distorcida, porque as igrejas o usaram para domesticar o povo e em um esquema de medo e culpa tornar o povo submisso. Mas ele foi claro quando disse que veio trazer a espada e de certa forma temos uma repetição disto com Francisco de Assis. Quem conhece a história dele sabe que el também incomodou a sociedade da época. Foi escândalo para seus pais e para a igreja quando deu prioridade aos pobres e excluídos em um temo em que os ricos dominavam a igreja. Aliás não é muito diferente do que tempos hoje.
 O outro Francisco, o de Roma está propondo uma revolução e os atuais doutores da lei não querem permitir.
Jesus se deu por inteiro, e não fazia distinção em um mundo em que mulheres nada valiam, eram vistas como um peso para seus pais e maridos. E ele cercou-se delas: Maria Madalena, Maria de Cléofas (um dos discípulos de Emaús), Marta, Maria sua mãe, Verônica e muitas outras que eram tratadas como discípulas. Só isso é fazer uma revolução. 


Além disso Jesus ainda sentou -se com uma Samaritana, o povo da Samaria era visto como hereges, impuros e judeus não falavam com Samaritanos, especialmente um homem judeu com uma mulher samaritana. Ele não só fala como lhe faz uma série de ensinamentos, não a condena apesar dela ter 5 maridos.  E vai mais além! O judaísmo abominava homossexuais e Jesus é procurado por um centurião que tinha um escravo de quem ele era amante, um “efebo”; tanto que o centurião diz a Jesus que ele não é digno de que Ele entre em sua casa. Judeus não podiam entrar em casa de homossexuais porque se tornavam impuros. Jesus nada questiona e cura o escravo do centurião. A quantidade de “perversões” e atos proscritos pelo judaísmo naquela época fazia com que Jesus fosse considerado alguém perigoso e que precisava ser eliminado. Dele diziam que se fazia acompanhar de ladrões e prostitutas. Alguém a quem a sociedade da época via como um fora da lei, um desencaminhador de Jovens. Ele ousava desfiar a justiça que estava prestes a se cumprir, no apedrejamento da mulher adúltera, e desafia a quem não tivesse pecado a atirar a primeira pedra. 


Sim ele veio trazer a espada, porque para alcançar a paz é preciso primeiro que  reine a justiça e isso, até hoje, mais de dois mil anos passados, ainda estamos longe.
 Seu maior ato de rebeldia, foi dizer que toda a lei e toda a profecia se resumiam a um só mandamento: amar como ele amou. Essa talvez seja a espada maia afiada, a chama que ele queria que incendiasse o mundo inteiro, mas ainda não fomos capazes de levar esse projeto adiante, continuamos querendo deixar tudo como sempre esteve, dizer que o Jesus que adoramos é aquele que fica preso no sacrário, ou é exposto para ser adorado no ostensório.
Não queremos o Jesus reformador, o que reclama e com um chicote expulsa os vendilhões da casa do pai, o que não tolera que repreendamos alguém enquanto cometemos os mesmos deslizes às escondidas. 


O Jesus da espada e do chicote e do fogo quer um mundo onde os pequeninos, os excluídos, aqueles pobres fedorentos, os que tem cara de assaltantes, os que não podem entrar nem nas igrejas, sejam elas quais forem, porque os “seguranças” os expulsam sejam acolhidos como irmãos. Isso estamos muito longe de alcançar. Vai ser preciso muita espada, muito chicote e muito fogo para poder trazer a paz a este mundo. E para isso será preciso olhar nos olhos de Jesus, sim  nos olhos destes excluídos de quem temos nojo porque é aí que está o verdadeiro filho de Deus, dentro de cada um de nós, os pobres, os ricos, as prostitutas, os traficantes, os ladrões os padres, pastores babalorixas,  e todo tipo de gente.
Porque como ele mesmo disse ele foi para o reino do Pai e este reino segundo ele, está no meio de nós.



Nenhum comentário:

Postar um comentário