Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

Seja Bem vindo (a)!

Agradeço por sua visita, ela é muito oportuna.
Aqui eu reúno pensamentos meus
e de outras pessoas com quem sinto afinidade de idéias e ideais.


"Vamos precisar de todo mundo
pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
vamos precisar de muito amor...

Vamos precisar de todo mundo,
um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
é só repartir melhor o pão...

Deixa nascer o amor/Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor/Deixa viver o amor

O sal da terra,..." (
Beto Guedes)

18 de março de 2016

Golpes e contragolpes


É preciso entender um pouco melhor essa situação para além das aparências. Sei que muitos vão me chamar de lunático. E eu agradeço porque lunático é quase sinônimo de sonhador, e o dia que eu deixar de ser um sonhador eu já estarei no outro plano.
Mas voltando a questão das aparências e do que está oculto. Falo de uma outra maneira de entender esta situação que mobiliza o pais. O Brasil conhecido nos meios mais espiritualizados como “Coração do Mundo e Pátria do Evangelho” tem uma missão, e isso foi anunciado nas visões de Dom Bosco um santo católico, mas não só por ele. Entre os espíritas essa nobre missão também é fartamente anunciada. Brasil o país continental que tem a missão de levar a Paz e a Concordia para o mundo, a missão de ser celeiro e porto seguro para os momentos de dificuldade no planeta. Não é por outra razão que a população deste país sempre foi destacada por sua alegria, por sua vivacidade, por sua maneira de resolver em paz seus conflitos. É no Brasil que a religiosidade e a espiritualidade são mais difundidas. É no nosso país que se pode encontrar o maior número de sensitivos, médiuns/profetas. Aqui a sensibilidade nos faz ter entre os nascidos nesta terra, a capacidade de mesmo em extremo sofrimento, ser capaz de expressar uma arte de grande beleza. É assim que no Vale do Jequitinhonha encontramos a população mais pobre do país e o artesanato mais interessante. No Nordeste também em meio a seca podemos encontrar poetas de cordel, artistas como Vitalino e seus parentes, famosos na arte do barro, além de tantos compositores, músicos e artistas plásticos.
O Brasileiro sempre soube fazer do limão a limonada, mas parece que de algum tempo para cá tudo mudou. Um ódio nunca visto brotou e passou a se alastrar depois de 2013 e vem ganhando proporções impensáveis. Os conflitos parecem brotar por todo lado, entre amigos e até mesmo dentro das famílias.
É urgente que se pare este desastre, que se impeça essa nação de naufragar no ódio, nos conflitos fratricidas e que se perca de sua meta maior.
O Brasileiro precisa voltar a sorrir, a fazer piada da dor e a não dar passagem ao que não presta. Temos na maior emissora do país um agente de destruição, com incitação ao ódio, com programações que destroem a ética e a moralidade de um povo que sempre soube conviver com as diferenças. A desestrutura proposta é para minar sentimentos amorosos e é assim que muitas vezes passa desapercebido, e com capa de liberalidade, os preconceitos conta a diversidade sexual, o preconceito racial que só coloca negros em papeis de menor importância ou de empregados além de quase só apresentar relações afetivas completamente doentias que primam pelo desamor e pela traição.
É preciso que fiquemos alertas e tomemos uma posição de forma a não nos deixarmos envolver neste jogo sujo. Não podemos ceder à propaganda de que o pais não tem futuro, ou que não irá mais encontrar um caminho para o crescimento e para a Paz verdadeira que é fruto da justiça e do amor.
Neste momento de tristeza generalizada ou de muito ódio, medo e desesperança precisamos aprender a vibrar exatamente o contrário. Não podemos abrir mão de nossa racionalidade.
Não podemos permitir que a emoção do momento nos lance por caminhos violentos e de destempero. Temos que buscar uma opção não violenta, mas firme, tal qual o mahatma Gandhi, que fez a independência de seu país sem precisar um ato violento, A não violência ativa é um caminho.
Sabemos que a energia segue a nossa mente, que aquilo que conseguirmos plasmar em nossas mentes, quando devidamente associados a nossa emoção suave, mas profunda, acaba por se realizar. Tudo, absolutamente tudo o que existe, foi antes realizado mentalmente. E esta é uma das mais importantes leis da existência que foi abandonada e esquecida e vem sendo resgatada aos poucos, embora com muita resistência por parte de muitos que não querem se abrir a esta realidade.
Neste momento em que precisamos fazer o Brasil voltar ao curso de sua missão, ao seu dharma eu peço a cada um que reserve alguns poucos minutos diários, se possível algumas vezes ao dia, para mentalizar nosso país em grande alegria, em grande desenvolvimento, com as diferenças sociais aplainadas e com todos felizes. Junto com isso aproveite também para se ver nesta mesma situação, feliz e em processo de expansão.
Façamos desta forma a nossa oração, a nossa entrega, a nossa contribuição para a construção desta grande nação.
Isso não implica que cada um deixe de continuar a sua luta por melhores momentos, apenas que se abra mãos da energia desgastante e degradante do ódio e dos conflitos destrutivos.
Que seja a busca da justiça e a prática do amor uma constante para que juntos possamos gozar a Paz.
Esta utopia é possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário