Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

9 de abril de 2016

Uma questão de Coerência e consciência

Muitos perguntam se eu sou Petista, se sou de esquerda. Embora os xingamentos sejam, invariáveis: petralha, esquerdopata, comunista a realidade é bem outra. Meu posicionamento é político sim, mas não necessariamente partidário. O meu posicionamento político está atrelado à minha espiritualidade. Sou cristão, sigo as ideias de um preso político, condenado injustamente, fruto de delação paga pelos poderosos do tempo, se chamava Yeshua ou Jesus e vivia na miserável Nazaré da Galileia.
Além dele um outro fora da lei, expulso pela sociedade da sua época e acusado de desvirtuar jovens da cidade, também fez minha cabeça, era um jovem sonhador que revolucionou seu tempo, seu nome Francisco.
Mas há outros...Muitos outros. Há aquele jovem advogado que enojado com a corrupção dos poderosos nos tribunais largou a profissão e resolveu se dedicar aos invisíveis de sua cidade, evangelizar àqueles que nem a igreja se preocupava, os sem nada era seu propósito. Afonso. Criou uma congregação para cuidar dos excluídos, incompreendido pela igreja de sua época. Há também o outro tido como “doido” que distribuía a comida do convento aos pobres, um seguidor, por acaso, de Afonso, uma vez que ninguém queria aquele traste imprestável. Foi mandado com um bilhete que o  qualificava justamente assim, no entanto seu exemplo de amor e dedicação aos menos favorecidos  santificou Geraldo, o doidinho de Deus.

Mas há tantos outros tipos esquisitos, tanta gente que não admitia viver a normose dos perfeitos. Desde os tempos remotos do início do cristianismo, homens e mulheres, Pedro, Madalena, João Crisóstomo, Francisco, Casaldáligas, Santos Dias, Penido Bournier, Ezequiel, Doroty, Herrique, Józimo,,, já perdi a conta dessa gente que por um ideal de amor, por seguir o revolucionário de Nazaré, não se cala e vai à luta em defesa daqueles que não tem vez e muitas vezes lhes foi  calada a voz.
Por isso a radicalidade aqui é outra, assim como a preocupação não é dividir igualmente, é dividir segundo a necessidade, não é distribuir igualitariamente, mas não sobrar a uns o que falta a muitos.


Somos radicais sim, nosso Mestre nos ensinou a não julgar, a não atirar pedras a não ser que fossemos mais puros do que a quem estamos acusando. Nos alertou que primeiro tirássemos a trave do nosso olho antes de falar do cisco do olho do próximo. São tantos os ensinamentos, tantos os exemplos. Ele nos alertou que devíamos sempre confiar, nunca duvidar porque a natureza estava a nossa frente para nos ensinar que as aves não tecem, não fiam e nem Salomão o poderoso rei de Israel, teve vestimentas tão belas e perfeitas como elas. Ele não condenou a Samaritana e seus CINCO casamentos e se deu em comunhão a ela com sua presença amorosa e ainda lhe disse que não eram precisos templos para adorar o Seu/nosso Pai.


Fico imaginando a cara dos fariseus ao ouvi-lo contar que diante do pobre caído, nem o sacerdote, muito menos o Levita e sim o samaritano, aquele que era execrado pelos judeus, foi o único a dar o testemunho de amor.
São muitos os exemplos, muitas as alusões a não seguir cordeiramente o que a religião oficial de sua época impunha aos seus irmãos de fé judaica.
E o que dizer da cura do servo preferido do Centurião Romano, o escravo a quem o centurião tanto amava?
Não há em toda a extensão do evangelho nenhuma menção ou condenação a qualquer atividade de diferenças de gênero ou de preferência sexual. A única preocupação de Yeshua era o AMOR. Sua única lei, AMAR como ele amou.
 Por isso não me tome por aquilo que não sou. Não confunda um cristão com um comunista porque o cristianismo é anterior e provavelmente o inspirador e influenciador das ideologias comunistas e socialistas. Entenda que para um cristão alguém que promove e cuida dos que estão completamente abandonados e desassistidos é digno de respeito e admiração, mesmo que seja iletrado, pouco educado, rude. Exatamente como os pescadores onde o mestre dos mestres foi buscar seus seguidores. Ele não quis príncipes, quis gente do povo, gente excluída como o cobrador de impostos e os pescadores como Pedro, André, Tiago... Ele teve a ousadia de dizer que os ladrões e as prostitutas precederiam os doutores da Lei no paraíso.
E como isso soa hoje quando vemos os purpurados em suas vestes reluzentes, seus anéis com pedrarias, seus “palácios episcopais?
 Jesus ! 


 Mas que Jesus é esse? Que Jesus é este que nos empurraram que ao invés de amor espalha dor, medo e culpa?
Esse não é o filho do operário da Galileia, não é aquele que caminha rodeado de mulheres e de gente do povo, que não respeita muitas das absurdas leis e ainda se propõe a reformá-las. Esse outo é um Jesus feito a imagem daqueles que tal como os doutores da Lei da época querem subjugar os pequeninos.

O Deus da minha fé é alguém que eu aprendi que é um pai amoroso, que não é parcial, ciumento e muito menos exigente e vingativo. Ele está no meio de nós e quer ser adorado em pneuma e alethéia, em espirito e verdade, no sopro e na atenção.
Ele está presente em cada uma de suas criaturas. Ele é o Jesus da Cruz, e o Jesus do túmulo vazio. É o Jesus que desafia as leis dos poderosos e é o Jesus que pede ao Pai que afaste dele o cálice do sofrimento. É o Jesus que pergunta porque foi abandonado e o que intercede pelos que o estão matando. Ele é tão divino que quis se revelar humano e tão especialmente humano que se tornou Deus.

Por isso, quando eu fecho os meus olhos, e me recolho nos aposentos reais, no mais íntimo do meu coração, em pneuma e alethéia eu posso dizer: 
Pai e mãe que estais aqui, no meu mais íntimo, santificado seja o teu nome. Venha até mim o teu reino de amor, Paz e compaixão.
Que eu revele a tua vontade antes da minha e que eu a honre, aqui e em todo o universo,
O pão do meu sustento tanto físico como espiritual me permita ganhar honestamente no dia a dia. Sê compassivo e misericordioso para com os meus erros e tropeços, assim como eu estou me esforçando para conseguir ser para com o meu próximo.
Me ajude a recusar os convites para me desviar do caminho da caridade,da humildade, da compaixão e da misericórdia e livra-me dos caminhos tortuosos de aparência sedutora, mas que me afastarão da tua Presença. Ensina-me a mais comungar e menos consumir. Porque  só em tí se encontra o AMOR, o poder e a glória hoje e sempre.

Shalom, Adonai !



Um comentário: