Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

28 de agosto de 2016

A terceira das idades, ou quando o mundo passa a nos considerar idosos.



A verdade é que sempre será uma questão de referência.
Ou seria preferência?

A verdade é que cheguei na tal idade...
Não é de hoje aprendi que o melhor mesmo é viver.
Deixar a vida me viver, sem impedir seu fluxo.
Alcanço agora não a primeira, nem a segunda,
Mas a terceira das idades.
Para muitos a pior, para outros a melhor.
Quanto a mim, acho ótimo ser jovem, cada vez há mais tempo.


Da calmaria meio insossa dos primeiros anos,
Cheguei rápido  à primavera que antecede os anos tórridos.

E daí, passei aos anos, nem quentes nem frios,
Mormaço úmido, numa sequência outonal
Como céus sem nuvens, expectantes;
Tempo de dúvida de como serão as noites frias de inverno.
O que estará por vir, amiga vida?

Feliz percebo a esperança, teimosa e insistente.

Peço a Deus que ela me seja sempre companheira.
Que Ele não permita que ela e os sonhos,
 Sejam derrotados e sucumbam às lembranças,
Que os sonhos não desanimem, 
Diante dos desafios de uma nova infância, a segunda.


Por fim,
Quero muito poder recuperar a simplicidade e a ingenuidade,
Mesmo depois de tanta experiência e de ter sido merecedor da sabedoria,
ter provado da maldade alheia e saboreado o gosto amargo do sofrimento.
Diz o poeta que sonhos, não envelhecem... confio nele.

Quero então estar preparado minha amiga vida,
Para daqui há alguns anos, muitos, eu imagino e espero,
Saborear o momento feliz de me entregar 
E no fim, te agradecer a companhia.






Um comentário:

  1. Bom dia J.Ricardo, muito bonita a mensagem por ti postada. Agradecemos pela gentileza. Marcos

    ResponderExcluir