Absurdo e graça!

.Na vida hoje caminhamos entre uma fome que condena ao sofrimento uma enorme parcela da humanidade
e uma tecnologia moderníssima que garante um padrão de conforto e bem estar nunca antes imaginado.
Um bilhão de seres humanos estão abaixo da linha da pobreza, na mais absoluta miséria, passam FOME !
Com a tecnologia que foi inventada seria possível produzir alimentos e acabar com TODA a fome no mundo,
não fossem os interesses de alguns grupos detentores da tecnologia e do poder.

"Para mim, o absurdo e a graça não estão mais separados.
Dizer que "tudo é absurdo" ou dizer que "tudo é graça "
é igualmente mentir ou trapacear...
Como morrer e ressuscitar, o absurdo e a graça são só dois lados da mesma moeda."
"Hoje a graça e o absurdo caminham, em mim lado a lado,
não mais estranhos,
mas estranhamente amigos"
A cada dia,nas situações que se nos apresentam podemos decidir entre perpetuar o absurdo ou promover a Graça. (Jean Yves Leloup)

* O Blog tem o mesmo nome do livro autobiográfico de Jean Yves Leloup, e é uma forma de homenagear a quem muito tem me ensinado em seus retiros, seminários e workshops *

Receba "O Absurdo e a Graça" por Email

Total de visualizações de página

4 de maio de 2013

Uma brasileira, negra, filha de escravos, será venerada num altar.


"Nhá Chica "



Uma mulher negra, filha de escravos sobe hoje aos altares, Nhá Chica como é mais conhecida Francisca de Paula de Jesus, que nasceu por volta de 1810 no distrito de Santo Antônio do Rio das Mortes, em São João Del Rei (MG). O primeiro registro que consta da sua vida é um atestado de batismo de Francisca, em 26 de abril de 1810. Um inventário do irmão dela, seu testamento e atestado de óbito completam os registros oficiais da vida da Nhá Chica.
Santa defensora dos pobres como ela, uma santa brasileira de origem muito humilde que tinha sua devoçãop voltada par Maria, N.ª S.ª da Conceição que "Nhá chica" Chama de Minha sinhá.


Que Nhá Chica possa interceder por todos os pobres e excluídos deste nosso imenso país.






Nenhum comentário:

Postar um comentário